Ygor Coelho perde na estreia nos Jogos Rio 2016

Brasileiro foi derrotado pelo irlandês Scott Evans por 2 sets a 1 em partida de badminton com torcida cheia e animada / Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COBBrasileiro foi derrotado pelo irlandês Scott Evans por 2 sets a 1 em partida de badminton com torcida cheia e animada / Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - O Pavilhão 4 do Riocentro viveu uma noite de lotação máxima e muita emoção na estreia de Ygor Coelho no torneio de badminton dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
Derrotado pelo irlandês Scott Evans por 2 sets a 1, parciais de 21/8, 9/21 e 21/8, Ygor não passou para as oitavas de final da competição, mas conseguiu fazer as arquibancadas tremerem. A torcida gritou seu nome e o aplaudiu até o fim, com a ajuda valiosa de 200 jovens do Instituto Miratus, onde ele treina, na comunidade da Chacrinha, Zona Oeste do Rio de Janeiro.
 
Ygor tinha 3 anos quando começou a jogar badminton no Miratus, projeto social voltado para a modalidade erguido por seu pai na comunidade onde moravam. Aos 19, o garoto se tornou o primeiro representante do Brasil no badminton masculino numa edição de Jogos Olímpicos. "Foi especial, porque essas pessoas viram toda a minha trajetória e estão me vendo aqui agora", disse o atleta. 
       
A estreia pesou no primeiro set do jogo, quando Ygor fez o primeiro ponto, mas logo foi ultrapassado pelo irlandês, que aos poucos foi colocando distância no placar até fechar em 21 a 8. No segundo set, o atleta voltou mais concentrado no jogo e rapidamente abriu uma enorme frente, impondo 8 a 1 em poucos minutos. O irlandês foi se recuperando aos poucos e encostou no placar. Mas, empurrado pela incansável torcida, o garoto da Chacrinha retomou o foco e os pontos passaram a se alternar, até ele fechar em 21 a 19. No terceiro set, o irlandês abriu logo de início. Quando Ygor esboçou uma reação, Scott Evans começou a pedir sucessivamente trocas de petecas, até fechar em 21 a 8.
 
"Fiquei muito nervoso no primeiro set. No segundo, a torcida me levantou. Quando chegamos ao terceiro, ele começou a quebrar as petecas e a pedir a substituição deles. É experiente, foi esperto, conseguiu me esfriar e me tirar do jogo. Isso me deixa indignado. Mas fico feliz por ver tanta gente que me conhece e tanta gente que não me conhece me apoiando", comentou Ygor.  
 
Na tarde deste domingo, o brasileiro enfrenta o alemão Marc Zwiebler, que, assim como Evans, traz na bagagem passagens por Pequim 2008 e Londres 2012. "Não consegui passar para as oitavas, mas ainda posso ficar entre os 20 se vencer esse jogo. Estou motivado", garantiu Ygor.

Veja Também: 

 

 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook