Dinamarca já enganou rival na época do Nazismo

Adolf Hitler ensaiando um de seus discursos / Foto: Reprodução / Heinrich HoffmannAdolf Hitler ensaiando um de seus discursos / Foto: Reprodução / Heinrich Hoffmann

Rio de Janeiro – Atual sede do Mundial de Handebol feminino, a Dinamarca teve momentos de conflito na história com os vizinhos alemães. Durante o regime nazista de Adolf Hitler, na Segunda Guerra Mundial, o país nórdico foi ocupado pela Alemanha, rival do Brasil no torneio em jogo desta terça-feira.
 
Durante a Guerra, o episódio mais marcante entre as duas nações foi quando a população dinamarquesa precisou transportar mais de seis mil judeus às pressas para a Suécia. Isso porque Hitler havia planejado a deportação de todos os judeus vivendo na Dinamarca.
 
Quem salvou estes homens foi um oficial do exército nazista que contou os planos de seus superiores antes deles serem ordenados à Dinamarca. Com isso, a população local se organizou e conseguiu transportar mais de seis mil judeus à Suécia, país neutro, sem envolvimento na greve, e que pôde receber os fugitivos.
 
O filme “Milagre à meia-noite”, de 1998, retratou o episódio no cinema. A saga dos judeus dinamarqueses foi interpretada pelos atores Sam Waterston e Mia Farrow, cujos personagens, um casal, foram obrigados a se mudar durante a ocupação.
 
Até hoje a relação entre os países não é confortável. No esporte essa animosidade deu as caras na final da Eurocopa de 1992 quando, no ápice de sua trajetória no futebol, a seleção dinamarquesa conquistou o inédito título em cima da Alemanha.
 
Hoje em dia, porém, as coisas são mais tranquilas. Na cidade em que o Brasil está hospedado para o Mundial, Kolding, os alemães também estão assentados. A cidade, aliás, é a sede mais próxima da Alemanha, e recebeu bem a seleção germânica.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook