Lenda do boxe foi campeão olímpico com dedo da mão quebrado

A luta marcante em que Frazier derrotou Ali depois do título olímpico em Tóquio 1964 / Foto: Getty ImagesA luta marcante em que Frazier derrotou Ali depois do título olímpico em Tóquio 1964 / Foto: Getty Images

Rio de Janeiro – Poucos atletas de boxe amador conseguem chegar ao ápice da carreira, que é o título de campeão olímpico. Ainda menos com um aperitivo bastante incomum: o polegar da mão esquerda quebrado. Pois é essa a história que Joe Frazier pode se vangloriar, depois que o peso pesado conseguiu o feito com o uniforme americano nos Jogos de Tóquio, em 1964.
 
Além disso, a história ainda guarda uma daquelas particularidades típicas de lendas: na seletiva olímpica dos Estados Unidos, o futuro campeão olímpico foi derrotado por Buster Mathis, o favorito na época entre os amadores. Mathis, porém, foi cortado da delegação dias antes da viagem à Ásia para os Jogos. O motivo? Adivinhe só: também uma fratura no polegar.
 
Frazier, que estava sem vaga, foi automaticamente convocado e pegou uma chave fácil, a bem da verdade. Venceu duas lutas e estava na semifinal, quando precisou encarar o maior desafio até então: o soviético Vadim Yemelyanov. A luta foi tão intensa que o americano, mesmo indo à final, quebrou o dedo.
 
Para a decisão do ouro, Frazier entrou no ringue com uma proteção especial no dedo da mão, além de tentar poupar sua mão esquerda na maioria dos golpes que desferia contra o alemão Hans Huber, mesmo tendo como uma de suas principais armas o gancho de esquerda.
 
O desempenho do americano ficou aquém do esperado mas, ainda assim, por decisão por pontos, Frazier conquistou o inacreditável título olímpico (para se ter ideia do equilíbrio do combate, dois dos cinco árbitros concederam a vitória ao alemão).
 
Depois do ouro em Tóquio 1964, Frazier resolveu se profissionalizar e alçou vôos ainda mais altos, com direito a um título mundial dos pesos pesados e um feito histórico: foi o primeiro boxeador a bater ninguém menos que a lenda Muhammad Ali, no Madison Square Garden, em Nova York, em 1971. O pugilista morreria 40 anos depois, em 2011, devido a um câncer no fígado.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook