Definidos os campeões no primeiro dia de disputa da Canoagem Slalom em Três Coroas

Favorita nas duas provas individuais femininas, Ana Sátila levou pela sexta vez dois ouros / Foto: DivulgaçãoFavorita nas duas provas individuais femininas, Ana Sátila levou pela sexta vez dois ouros / Foto: Divulgação

Três Coras - Terminou o primeiro dia de competições do Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom em Três Coroas, no Rio Grande do Sul. Nesta quinta-feira já foram conhecidos os campeões brasileiros de 2017. Ana Sátila, Pedro Gonçalves (Pepê) e Felipe Borges mantém a invencibilidade na competição. Agora as atenções se voltam para os outros dois dias de classificatórias da Seletiva Nacional, que irão definir os canoístas que representarão o Brasil em 2018.
 
Favorita nas duas provas individuais femininas, Ana Sátila levou pela sexta vez dois ouros, um no C1 Feminino Sênior e outro no K1 Feminino Sênior, tornando a atleta olímpica hexacampeã nas duas categorias. Na canoa ela fez o tempo de 116.51 segundos, já no caiaque o seu melhor resultado foi de 103.81 segundos sem penalidades. Segundo a atleta a pista estava muito boa. “É uma pista divertida e eu particularmente gostei muito, de alto nível e bem complicada. Ela exige uma grande análise técnica”, diz. A atleta que participou das duas últimas edições dos Jogos Olímpicos explica que para os canoístas mais novos a competição é um incentivo. “Eles precisam desta competição para melhorarem ainda mais o nível, para a gente é um prazer participarmos de provas assim aqui no Brasil. Está sendo um evento maravilhoso e bem organizado”, complementa.
 
Ao lado de Sátila no pódio do K1 Feminino Sênior Marina Souza ficou com a prata e Ana Paula Castro levou o bronze. No C1 Feminino Sênior Ana Paula Castro ficou em 2º lugar e Marina Souza com a 3ª posição. Na disputa do K1 Feminino Júnior, Omira Estácia do Instituto Meninos do Lago também teve uma boa apresentação e garantiu o ouro. Já na categoria menor, Yasmin de Moura foi a campeã. Pelo C1 Feminino Júnior Beatriz da Motta ficou em primeiro lugar.
 
Pepe é heptacampeão - Pedro Gonçalves, de Piraju/SP, garantiu o seu sétimo pódio consecutivo no K1 Masculino Sênior. Ele conquistou o heptacampeonato na sua segunda descida, na qual fez o tempo de 92.31 segundos, o barco mais rápido do dia. “Eu estou bem cansado, competi oito vezes este ano e tentei fazer o meu melhor, busquei a velocidade, mas na primeira descida tive uma penalidade de 50 segundos, na segunda acertei e fui muito bem”, explica o canoísta, que agora já está com o foco na Seletiva Nacional. “Busquei ter um bom resultado no primeiro dia de classificatória, agora é fazer uma boa descida amanhã para garantir com tranquilidade minha vaga”, diz.
 
Além de Pepe, Anderson Oliveira e Guilherme Mapelli completaram o pódio da prova com uma prata e um bronze, respectivamente.
 
No K1 Masculino Júnior o atleta Guilherme Rodrigues retorna ao primeiro lugar do pódio depois de dois anos. O atleta que representa o Instituto Meninos do Lago de Foz do Iguaçu, no Paraná havia conquistado a medalha de ouro em 2016 mas no ano passado ficou com a prata. Ele garantiu o título com o tempo de 96.46 segundos, seguido por Murilo Sorgetz, da ASTECA, e Daniel Carrasco da APEN, completou trio com o bronze. Pelo K1 Masculino Menor o canoísta Lucas Oliveira, da ASTECA levou o ouro e Felipi Barrios e Guilherme Siqueira, ambos da APEN, ficaram com a prata e o bronze, respectivamente. Completando a categoria de caiaques masculino, a disputa pelo Master ficou com Thiago Ganeo, da ASCAPI, que conquistou o primeiro lugar, seguido por Enio Winkler e Rubens Sobrinho, ambos da ASTECA.
 
Felipe Borges mantém o ouro na canoa - Novamente a medalha de ouro no C1 Masculino Sênior fica nas mãos de Felipe Borges, o atleta garantiu o lugar mais alto no pódio na sua segunda descida fazendo em 103.53 segundos sem cometer nenhuma penalidade. “A tensão é dobrada em uma prova tão decisiva, eu percebi que não estava tão solto, agora as atenções irão para a seletiva”, explica o iguaçuense que ainda brigará para continuar representando o Brasil em competições internacionais nos próximos dois dias de classificatórias. Charles Corrêa, da APEN – Associação Pirajuense de Esportes Náuticos garantiu o segundo lugar e Leonardo Curcel, do Instituto Meninos do Lago o terceiro.
 
O canoísta prata da casa Gustavo Selbach Júnior foi o mais rápido nas duas oportunidades e também garantiu a medalha dourada no C1 Masculino Júnior. Os outros medalhistas foram Kauã da Silva com a prata e Bruno Cruz  com o bronze, ambos de Piraju – SP.
 
Mais resultados do Brasileiro - No C2 Masculino Sênior, Jean Oliveira e Willian Oliveira, ambos do IMEL, ficaram com a medalha de ouro. Pela categoria Júnior, os atletas da ASTECA Vinicius da Silva e Diogo Dias foram os vencedores. Guilherme Rodrigues, do IMEL, e Beatriz da Motta, da APEN, ficaram com o título no C2 Misto.
 
Nas disputas por equipes o trio Pedro Aversa, Thiago Serra e Denis Quelis garantiram a medalha de ouro no C1 Misto. Já no K1 Feminino, Ana Sátila, Omira Estácia e Marina Souza
conquistaram a medalha dourada. O trio campeão do K1 Masculino foi Pedro Gonçalves, Anderson Oliveira e Charles Corrêa.
 
Atleta retorna à canoagem depois de 10 anos - Uma reestreia marcou o Campeonato Brasileiro. O atleta de Piraju - SP Laercio David Fim, de 27 anos, voltou a remar depois de 10 anos fora dos rios. O intervalo aconteceu pela mudança da família do atleta para São Paulo, mas a vontade de David retornar ao caiaque não foi por água a baixo. 
 
Uma reestreia também marcou o campeonato. O atleta Laercio David Fim, de 27 anos, voltou a remar depois de ficar 10 anos fora dos rios. A pausa no esporte foi em função da mudança da família de Piraju para a capital, São Paulo, mas a vontade voltar ao caiaque não foi água a baixo.
 
O atleta já foi campeão brasileiro da categoria iniciante pelo K1 Masculino, em 2007 quando treinava com os amigos Ursão (Anderson Oliveira), Pepê (Pedro Gonçalves) e Charlinho (Charles Corrêa), todos de Piraju. Ele fez sua avaliação da prova: "Estou enferrujado ainda, mas foi bom para sentir o ritmo. A pista está bem montada, mas na segunda descida meu caiaque virou e acabei sendo penalizado. Apesar do resultado estou muito feliz de ter voltado” declarou o atleta que ficou em 12º.
 

Veja Também: 

 

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook