Yacht Club de Ilhabela pronto para terceira etapa da Copa Suzuki Jimny

Orson tem o comando de Kalu / Foto: Edu Grigaitis / BalaioOrson tem o comando de Kalu / Foto: Edu Grigaitis / Balaio

Ilhabela - Está chegando a hora para o início da terceira etapa da Copa Suzuki Jimny, um dos principais eventos de vela oceânica da América Latina. Com mais de 40 barcos nas edições anteriores, a tendência é que o Yacht Club de Ilhabela (YCI) volte a receber os melhores velejadores de oceano do Brasil a partir deste sábado, dia 22 de Setembro. 
 
Essa fase da competição terá quatro datas: 22,23, 29 e 30 de setembro e a organização espera fazer, no mínimo, duas provas por dia. Os dois finais de semana prometem regatas equilibradas nas classes ORC, RGS, HPE, C30 e M24.5. Mesmo na reta final do campeonato, há indefinições quantos aos líderes em todas as categorias. Essa é a prova do bom momento passado pela vela oceânica nacional.
 
O novo diretor de vela do YCI, Carlos Eduardo Souza e Silva, o ‘Kalu’, acredita que há mais espaço para ser explorado na modalidade, mesmo com o crescimento e o surgimento de classes como C30 e a consolidação da HPE e ORC. Velejador e comandante do Orson Mapfre, na ORC, o responsável pelo setor ressalta que o clube tem acompanhado esta evolução apoiando o desenvolvimento das classes de monotipos de oceano e a integração nacional dessas categorias e favorecendo a atração de talentos. 
 
"Mesmo com o sucesso dos one-design HPE, C30 e S40, é condição prioritária o desenvolvimento das classes de rating, particularmente da ORC, a mais maior e mais importante regra internacional de medição. Essa classe andou meio à deriva no Brasil nos últimos anos, perdendo tripulações para os monotipos de oceano, além de algumas terem migrado para a RGS. Mesmo nesses tempos de dificuldade, contamos com a cooperação de clubes do Rio de Janeiro (ICRJ, IC Brasileiro, CNC, IC BUZIOS) de Santa Catarina (ICSC) e Rio Grande do Sul (Veleiros do Sul e Jangadeiros), além do YCA argentino", relata Kalu.
 
O diretor de vela do YCI aposta em competições como Rolex Ilhabela Sailing Week e a própria Copa Suzuki Jimny no processo de consolidação da vela oceânica nacional. "Nesses eventos, nomes de peso como Torben Grael, Lars Grael, Robert Scheidt e Bruno Prada sempre estão presentes duelando com não profissionais em alto nível. Faz tempo que temos bons velejadores nas classes monotipo, devido ao trabalho de base de alguns clubes. Isso se refletiu numa geração de medalhistas olímpicos e campeões mundiais em várias categorias. De uns anos para cá muitos destes vem amadurecendo e procurando as regatas de oceano. Os mais propensos à longas aventuras radicais têm ido para a Volta ao Mundo nos proporcionando as emoções do Brasil 1, Ericson e outros. Alguns participam na ORC nos vários circuitos europeus e também aqui no País. Mas é necessário fazer um trabalho de base para garantir a presença de novos talentos na vela brasileira", conta Kalu. "O futuro da vela é sempre forjado nas grandes classes monotipo como Laser, Snipe, Lightning, Star, hobie cat etc. È importante que o YCI busque ser uma via para trazer este trabalho para o mar".
 
O Aviso de Regata da Copa Suzuki Jimny já está disponível e as inscrições serão feitas no YCI nos dias 21 e 22 de setembro de 2012, na secretaria do evento, com valor de R$ 80,00 por tripulante (exceto mirim, que é isento). A última etapa do evento será disputada entre 24 e 25 de novembro e 1 e 2 de dezembro. A tradicional Regata Volta a Ilhabela/Sir Peter Blake será uma das atrações. A Copa Suzuki Jimny teve duas etapas no primeiro semestre : a primeira, em março, e a segunda, o Warm Up, em junho.
 
Bruno Prada é atração na HPE: A HPE, que conta com maior número de veleiros entre as classes que não precisam de rating, tem uma atração extra nesta etapa: o tricampeão mundial e medalhista olímpico em Londres, Bruno Prada, comandará o líder SER Glass Eternity no lugar de Marcelo Bellotti, que operou o joelho. Nas últimas duas edições da Rolex Ilhabela Sailing Week, Bruno competiu na classe HPE: ficou na quarta colocação em 2011 a bordo do Max e com o vice-campeonato em 2012 como timoneiro do Ginga.
 
A classe está muito equilibrada e tem três equipes praticamente empatadas: O SER Glass está na frente com o mesmo número de pontos do Jimny/Take Ashauer (Marcos Ashauer) e com um ponto atrás vem o SX 4/Bond Girl (Rique Wanderley). O atual campeão, o Ginga (Breno Chvaicer), segue em quarto. No Warm Up, 22 barcos competiram em Ilhabela.
 
Outra categoria que promete é a C30. Após a estreia mundial da classe em 2011, justamente em uma etapa da Copa Suzuki Jimny, mais veleiros foram adquiridos e podem fazer parte das regatas. O primeiro colocado é o Barracuda/Matrix (Humberto Diniz).
 
ORC e BRA-RGS estão no calendário, Essas, porém, não são iguais e precisam de rating para definir o vencedor. O líder acumulado da ORC é o antigo Touché, hoje batizado de Tomgape (Ernesto Breda). Na ORC 30 pés, o melhor aproveitamento em duas etapas é do Sextante (Thomas Leomil Shaw). Na RGS A, a ponta é do Fram (Felipe Aidar). Na subdivisão B, o líder é o Nomad (Márcio Dottori), na C é o Ariel (Luis Pimenta) e na Cruiser, o Helios II - Hospital Sírio Libanês (Marcos Lobo).
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook