Touché, barco ícone da vela, despede-se do Brasil

O veleiro Touché Super fará as últimas regatas no País / Foto: Edu Grigaitis / ZDLO veleiro Touché Super fará as últimas regatas no País / Foto: Edu Grigaitis / ZDL

Ilhabela - A última etapa da Copa Suzuki Jimny será especial e histórica para a vela oceânica nacional. O evento, nos dois próximos fins de semana, marcará a despedida do barco Tomgape, conhecido como Touché Super. O veleiro dominou o cenário da classe ORC nas principais competições da modalidade e fará as últimas regatas no País nos dias 24 e 25 de novembro e 1 e 2 de dezembro. 
 
Depois do compromisso, a tripulação de Ernesto Breda parte para o Mundial da categoria, em 2013, em Ancona, na Itália. A embarcação, um Botin & Carkeek de 46 pés, fecha o seu ciclo com três títulos do Circuito Rio, três Campeonatos Brasileiros, três edições da Rolex Ilhabela Sailing Week e outras conquistas em Florianópolis, Búzios e Buenos Aires/Punta Del Leste.
 
Ernesto Breda, que parte para a Itália navegando em fevereiro, elogia a organização da Copa Suzuki Jimny e ressalta que o evento faz parte da história do Touché. "Foi um grande campeonato , um dos melhores que corremos, com todos juntos na classificação geral da ORC. Foi bom demais. Disputaremos o Mundial de 21 a 29 de junho, na Itália e, no dia 30 de junho de 2013, a trajetória de sucesso do Touché será encerrada". 
 
"Vamos usar as regatas para testar a otimização do barco para o Mundial de Ancona. Temos mestra quadrada e genôas novas. Ainda faltam uma genôa e um balão, que devem ser instaladas ainda neste ano. O barco ainda vai passar por uma remedição completa das velas e, por isso, não vamos pontuar. Vamos testar as rotinas de jibe e as novas funções de cada um. Enfim, teremos muito trabalho de regulagens e testes nesta fase", explica Ernesto Breda.
 
Volta a Ilhabela - A despedida do Touché (Tomgape) terá mais um momento especial. O evento será a última etapa do circuito e terá como uma das atrações a Volta a Ilhabela - Sir Peter Blake. A prova de aproximadamente 35 milhas náuticas (65 quilômetros) tem duração aproximada de sete horas e é apontada por velejadores como imperdível, misturando estratégia, tática, desempenho e belas paisagens. A largada será neste sábado (24), a partir das 12h30, para os barcos das classes ORC, C30, RGS (A e B e RGS Cruiser maior que 30 pés). Já as embarcações menores, que medem nas categorias ORC Club 700, RGS C e RGS Cruiser menor do que 30 pés, terão uma regata de percurso médio ou barla-sota. O veleiros da classe HPE participam de uma regata em outra raia, porque os modelos não têm características para velejar em mar aberto.
 
A prova homenageia Sir Peter Blake, lendário navegador da Nova Zelândia falecido em 2001 e que esteve presente na primeira edição da prova, em 2000, com seu veleiro Polar Seamaster no YCI. A Volta a Ilhabela passa pelos quatro faróis da Ilha: Ponta do Boi, Ponta Grossa, Ponta da Sela e Ponta das Canas. Em 2012, a premiação ao vencedor da regata será a maquete do farol da Ponta da Canas.
 
Para a quarta etapa estão convidados os barcos das classes ORC, RGS (A,B,C e Cruiser), HPE e C30. As inscrições serão feitas na secretaria do evento, com valor de R$ 80,00 por tripulante (exceto mirim, que é isento da taxa). O Yacht Club de Ilhabela está pronto para receber os velejadores e os mais de 50 barcos previstos.
 
Confraternização - Como de costume, a última etapa da Copa Suzuki Jimny encerra em grande estilo o calendário de eventos top da vela oceânica da América Latina. É um momento especial para confraternização no Yacht Club de Ilhabela depois de uma temporada de regatas equilibradas. E, para deixar o ambiente ainda mais divertido, a organização prepara a tradicional canoa de cerveja e refrigerante, além dos quitutes para a turma que velejou no litoral norte paulista. No sábado (1/12) haverá uma banda para divertir a galera.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook