Condições perfeitas para vela marcam penúltimo dia de regatas

Chroma e Touché / Foto: Aline Bassi / BalaioChroma e Touché / Foto: Aline Bassi / Balaio

Ilhabela - O penúltimo dia de regatas da Copa Suzuki Jimny foi especial para os velejadores que disputam o campeonato de oceano no Yacht Club de Ilhabela (YCI). A organização aproveitou as condições ideais para a modalidade neste sábado (1) no litoral norte paulista para fazer três provas para os HPE, C30 e ORC e duas para os RGS (A,B,C e Cruiser). Os ventos na direção leste variaram de 15 a 18 nós na Ponta das Canas, na parte norte da ilha. Os resultados da etapa foram importantes para o circuito, que conhecerá seus campeões neste domingo (2).

"Foi um dia especial, principalmente porque conseguimos fazer três provas para os ORC, os maiores barcos da flotilha. O vento quase não rondou e conseguimos fazer provas de aproximadamente uma hora sem problemas. A tarde estava agradável", explicou Cuca Sodré, organizador da Comissão de Regatas.

Na ORC, o Touché (Ernesto Breda) fez sua penúltima apresentação oficial no Brasil. O barco será vendido após o Mundial da categoria em 2013 na Itália e despede-se neste domingo. O Chroma (Luiz Gustavo Crescenzo), fita azul da Volta a Ilhabela - Sir Peter Blake no sábado passado, rivaliza com a equipe do tradicional e vencedor veleiro.

Na HPE, por exemplo, o Ginga (Breno Chvaicer) venceu duas regatas e terminou a outra em segundo, ampliando suia vantagem para o vice no geral, o SER Glass Eternity (Marcelo Bellotti). "O resultado traduz o entrosamento da tripulação que está sempre velejando junta. As regatas estão cada vez mais disputadas e isso faz a diferença. Pretendemos repetir o bom desempenho nas últimas provas", disse Breno Chvaicer. O Ginga praticamente não pode mais ser alcançado e já pode ser considerado o virtual campeão da temporada.

Na C30, o TNT Loyal (Marcelo Massa) cruzou a linha de chegada em primeiro lugar nas três regatas deste sábado e soma cinco pontos de vantagem para o Barracuda (Humberto Diniz). "Essa vitória é fruto de dedicação e trabalho. Ficamos fora apenas da primeira etapa e, de lá pra cá, aproveitamos todas as oportunidades para entrosar a equipe, com velejadores de nível", contou Marcelo Massa, que comanda a tripulação ‘mais profissional’ do circuito.

Velejadores profissionais reforçam as equipes em Ilhabela - Assim como o grupo do TNT Loyal, equipes que disputam a Copa Suzuki Jimny contrataram atletas de ponta ao longo da temporada para reforçar a tripulação. Entre os C30, o Loyal tem a armada gaúcha liderada por André ‘Bochecha’ Fonseca, Gustavo Thiessen e os irmãos Paradeda. Na mesma classe, o Barracuda foi atrás do velejador olímpico Fábio Pillar. "O C30, além de ser o barco mais divertido entre as opções na vela oceânica, tem custo-benefício e fácil de velejar. O veleiro é bom nas manobras, rápido e estável. Só tende a crescer a categoria, quem correr vai se apaixonar", reforçou Fábio Pillar.

Os HPEs SER Glass, Bixiga e Relaxa Next Caixa investiram nos campeões mundiais Bruno Prada e Maurício Santa Cruz. "A categoria é muito disputada e a chegada de velejadores que fazem campanhas olímpicas e pan-americanas contribui para a evolução da modalidade", falou Santa Cruz, bicampeão pan-americano de J24.

Entre os RGS, destaque desse sábado para o Fram (Felipe Aidar) na A, Nomad (Mauro Dottori), na B e Hélios II - Hospital Sírio Libanês(Marcos Lobo), na Cruiser. Os três são virtuais campeões em suas categorias e só precisam entrar na água neste domingo para confirmar o título. Já na subdivisão C, a briga é a mais acirrada de todas. Três equipes estão na disputa Rainha Mix Saúde (Leonardo Pacheco), Ariel (Luis Pimenta) e YDYPY (Marco Aleixo).

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook