Esgrima brasileira entra na pista no sábado

Treinadora Laura Flessel e Nathalie Moulhausen / Foto: DivulgaçãoTreinadora Laura Flessel e Nathalie Moulhausen / Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - Num canto da ampla sala, a conversa é em francês; no canto oposto, ouve-se inglês e português. O italiano também ecoa no local, assim como um português com sotaque russo. Mas o clima não podia ser melhor, mais animado.
 
A alegria está estampada nos rostos suados dos atletas. Assim são os treinos da equipe olímpica de esgrima, no colégio QI, dentro do Riocentro, às vésperas da estreia nos Jogos Olímpicos – as primeiras a entrar na pista da Arena Carioca 3 serão as meninas da espada, para a competição individual – NathalieMoulhausen, Amanda Simeão e Rayssa Costa.
 
Pela primeira vez, o Brasil tem uma verdadeira equipe de esgrima em Jogos Olímpicos. Nas anteriores, apenas atletas individuais conseguiam a classificação. Por ser o país sede, oito puderam entrar com convites da Confederação Brasileira. A equipe de florete masculino – Gislain Perrier, Henrique Marques, Guilherme Toldo e Fernando Scavasin -, RenzoAgresta e NathalieMoulhausen se classificaram pelo ranking internacional e é para eles que as atenções estão voltadas.  Renzo é o 22º do ranking mundial no sabre e Nathalie, a 24ª na espada.
 
Nathalie trouxe da França, onde mora, a treinadora Laura Flessel e seu assistente Laurent; com RenzoAgresta, o mais experiente do grupo, disputando sua quarta olimpíada no sabre, está o técnico Alessandro Di Agostino. O português com sotaque russo vem do treinador convidado, GennadyMiakotnykn, do Pinheiros. A reserva da equipe de espada, Katherine Miller mora nos Estados Unidos e se esforça para falar português, mas pode falar inglês com Marta Baesa, que mora em Londres e Henrique Marques, há dois anos estudando numa universidade americana. E ainda tem o francês de Gislain Perrier, que nasceu em Fortaleza, mas foi adotado por um casal francês e mora em Paris. 
 
Nenhum deles aspira subir ao lugar mais alto do pódio, mas poder estar entre os melhores do mundo é um feito e tanto. A preparação não poderia estar melhor. “Para mim, está tudo perfeito, as condições da Vila Olímpica são ótimas e os treinos estão dentro do esperado”, afirma Perrier.
 
O Congresso da Federação Internacional de Esgrima vai definir, hoje, os horários dos jogos e os adversários.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook