Final da Taça Brasil tem virada histórica

Marília sai perdendo, mas consegue virada histórica em cima do Gecebs na final da Taça Brasil de Beisebol / Foto: Sylvio NovelliMarília sai perdendo, mas consegue virada histórica em cima do Gecebs na final da Taça Brasil de Beisebol / Foto: Sylvio Novelli

São Paulo - Aqueles que acreditam que o beisebol é um esporte “chato” e sem emoção, ontem (domingo, dia 18/12), na decisão da Taça Brasil, queimaram a língua. Afinal, em qual outra modalidade esportiva um time passa metade da partida perdendo por 9 a 0, consegue achar forças para empatar, levar o jogo para “prorrogação” e virar por impressionantes 11 a 10?
 
Foi exatamente isso que ocorreu na decisão do mais importante torneio do beisebol nacional, no Estádio Mie Nishi, no jogo entre GECEBS e Marília.
 
Num duelo que durou pouco mais de quatro horas, o time de Marília saiu atrás no placar e viu a diferença aumentar muito nas seis primeiras entradas. A maioria do bom público que compareceu ao estádio já imaginava uma vitória tranquila do time de Arujá, porém o que se viu foi uma reação avassaladora do Marília, conquistando seu primeiro troféu de Taça Brasil.
 
Ambas as equipes estavam reforçadas nas finais com jogadores convidados, todos da seleção brasileira e alguns que atuam nas ligas menores da MLB. O GECEBS contou com Leonardo Reginatto (Minesota Twins), além do cubano Kenny Rodrigues, que joga no Peru. Já Marília entrou em campo com os reforços de Luiz Paz (Los Angeles Dodgers), Ernesto Noris, Juan Carlos Muniz, Felipe Fukuda, Hugo Kanabushi e Edilson Batista (Boston Red Sox).
 
O Jogo - O GECEBS dominou a primeira parte da partida basicamente por conta do bom trabalho defensivo dos seus atletas e do desempenho do arremessador peruano, que permaneceu em campo por cinco entradas sem ceder corridas. Já o Marília falhou na defesa e não conseguiu pontuar, vendo o placar chegar em 9 a 0 na quinta entrada.
 
Porém, veio a reação que poucos acreditavam. Na sexta entrada foram nada menos que sete corridas anotadas trazendo o Marília de volta ao jogo. O empate veio na oitava entrada, com um home run de duas corridas. A nova entrada ninguém pontuou, levando o confronto para entradas extas.
 
A décima entrada, mesmo com esse toque de emoção, passou sem novas corridas, mesmo com o GECEBS lotando as bases. Mas com dois eliminados a equipe não conseguiu pontuar. Marília passou rápido pelo bastão, acabando a entrada com uma dupla eliminação.
 
A decisão veio só na décima primeira entrada com o GECEBS anotando sua décima corrida, deixando Marília em posição complicada. Entretanto, o time de Marília conseguiu as duas corridas suficientes para virar uma partida improvável e levantar pela primeira vez a Taça Brasil.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook