Brasileiro faz história e estreia na Major League Baseball

Arremessador que havia participado do jogo das estrelas do futuro da MLB estreia com três eliminações, um “strikeout” e uma jogada incrível pelo Seattle Mariners / Foto: Alex Trautwig MLBArremessador que havia participado do jogo das estrelas do futuro da MLB estreia com três eliminações, um “strikeout” e uma jogada incrível pelo Seattle Mariners / Foto: Alex Trautwig MLB

EUA - 2017 ficará marcado para história do beisebol nacional. Nesta segunda-feira, 14 de agosto, o brasileiro Thyago Vieira foi promovido ao time principal do Seattle Mariners e já para fazer sua estreia no mesmo dia em partida diante do Baltimore Orioles. Com isso Thyago torna-se o quarto brasileiro a chegar ao topo do beisebol mundial, sendo o segundo arremessador.
 
Esta temporada já tinha gosto muito especial para Thyago, pela primeira vez na carreira foi escolhido para fazer parte do elenco principal dos Mariners na pré-temporada realizada entre fevereiro e março, o Spring Training. E após atuar alguns meses na filial de doble A da equipe de Seattle, o atleta brasileiro de 24 anos, foi convocado para o MLB All Star Futures Game 2017, no dia 9 de julho, e após eliminar dois rebatedores adversários com arremessos à 101 mph, cerca de 162 km/h, chamou atenção do Seattle Mariners, que uma semana depois o promoveu à AAA (triple A). Não demorou muito e o fechador brasileiro, que atuou em apenas sete partidas pelo Tacoma Rainiers, filial de triple A do clube, recebeu a promoção para a maior liga de beisebol do mundo, MLB.
 
Estreia - Apesar da derrota dos Mariners por 11x3 contra os Orioles, o resultado fora o menos importante, Thyago teve ótimo desempenho, alcançando 100 mph em um deu seus arremessos. Ele entrou na nona entrada com a partida praticamente definida, 11x2, e foi muito bem. Foram três eliminações sem ceder nenhuma rebatida, sendo uma por “strikeout”, jogada perfeita para o arremessador. O destaque ficou para o lance incrível de Vieira logo no seu primeiro arremesso nas grandes ligas. Chris Davis, jogador de 1ª base do Baltimore, rebateu a “beisebola” em direção ao rosto do brasileiro, que teve impressionante reflexo para segurar a bola e ainda garantir a eliminação do adversário, excelente maneira de começar com pé direito na Major League Baseball.
 
Thyago Vieira - Contratado no final de 2010 pelo time de Washington defendeu a seleção brasileira no histórico mundial de 2013 e também nas eliminatórias para o World Baseball Classic de 2017. Arremessador destro que joga como fechador – “closer”. Pitcher que por sua potência e velocidade de arremessos, geralmente é colocado na última entrada dos jogos para assegurar a vitória do time em vantagem e/ou evitar desvantagem maior em caso de derrota parcial. Usualmente o jogador é utilizado estrategicamente para as situações de “save” – quando a vantagem é igual ou menor a três pontos. O ideal para este arremessador seria lançar no máximo 30 bolas por jogo. Já que, ao contrário dos abridores, os fechadores jogam alguns dias seguido sem descanso. Vieira repete a história de André Rienzo que dias após ter participado do futures game foi chamado para fazer sua estreia na MLB pelo Chicago White Sox. Lances da estreia de Thyago no site MLB.COM.
 
Beisebol no Brasil - Só em 2017, a Academia MLB Brasil, projeto anual que substituiu o MLB Elite Camp, impulsionou cinco prospectos brasileiros a assinarem contratos profissionais com times da Major League Baseball. Heitor Tokar (arremessador) e Victor Coutinho (defensor de campo externo) assinaram com o Houston Astros, Vitor Watanabe (arremessador) com o Milwaukee Brewers e Christian Pedrol (arremessador), contratado em maio pelo Seattle Mariners, juntaram-se a Eric Pardinho, maior prospecto brasileiro contratado pelo Toronto Blue Jays.
 
Essa mudança de estágio no beisebol brasileiro, a chegada de Thyago ao topo do esporte e o aumento no número de atletas que conseguem se manter crescendo nas ligas americanas é a prova de que o trabalho da Major League Baseball vem sendo bem feito no país. Com os Elite Camps e a abertura da Academia MLB Brasil, os jogadores saem mais preparados para os desafios da carreira profissional lá fora e também para defender o Brasil nas competições internacionais, vale lembrar que o beisebol volta ao Hall Olímpico em Tóquio 2020.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook