Carlos Arthur Nuzman é preso pela Polícia Federal

Carlos Arthur Nuzman / Foto: Divulgação / COBCarlos Arthur Nuzman / Foto: Divulgação / COB

Rio de Janeiro - Carlos Arthur Nuzman, presidento do Comite Olímpico Brasileiro há 22 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira no Rio de Janeiro suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olímpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016.

Nuzman é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olímpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016. Ele foi preso em casa, no Leblon, por volta das 6h. Nuzman é presidente do COB há 22 anos. Durante a operação também foi preso na manhã de hoje  Leonardo Gryner, diretor geral  do comitê da Rio 2016 e braço direito de Nuzman no COB.

A Operação Unfair Play -Segundo Tempo, deflagrada pela polícia federal na manhã de hoje, é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e é um desdobramento da operação Unfair Play. Vinte policiais federais cumpriram dois mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal/RJ, na cidade do Rio de Janeiro (Ipanema, Leblon, Laranjeiras, Centro). Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Segundo o Ministério Público Federal, o pedido de prisão foi decretado porque houve uma tentativa de ocultação de bens no último mês, após a polícia ter cumprido um mandado de busca na casa de Nuzman no mês passado. A ação é um desdobramento da "Unfair Play", uma menção a jogo sujo e que é mais uma etapa da Lava Jato no Rio. Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook