Jogadores do Brasil evitam falar sobre possível final com Alemanha

Renato Augusto disse que gol logo no início "trouxe o torcedor para o nosso lado" / Foto: Jonne Roriz/Exemplus/COBRenato Augusto disse que gol logo no início "trouxe o torcedor para o nosso lado" / Foto: Jonne Roriz/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - Se a Alemanha confirmar presença na final do futebol masculino dos Jogos Rio 2016 – precisa derrotar a Nigéria na outra semifinal desta tarde –, o roteiro para a finalíssima estará mais do que pronto.
 
Pouco mais de dois anos após o trágico 7 a 1 da Copa de 2014, brasileiros e alemães voltariam a se encontrar e justamente numa partida onde estaria em jogo o ouro olímpico. Mas, ao deixarem o Maracanã na tarde desta quarta-feira, dia 17 de agosto, os jogadores da Seleção preferiram não projetar e tampouco polemizar o possível confronto.
 
"Cada jogo tem sua história, estamos vivendo um outro momento e com outros jogadores envolvidos. Não temos que ficar pensando em revanche, mas sim na medalha de ouro, independentemente de contra quem iremos jogar. Eu quero é ser campeão", disse o meio-campo Renato Augusto.
 
Sobre o público presente ao Maracanã na tarde desta quarta-feira, o ex-jogador de Corinthians e Flamengo ressaltou a diferença que existe entre torcedores de outros estados do Brasil. "Rio e São Paulo tem uma cobrança um pouco maior e então foi importante o espírito que entramos em campo com o Neymar já pressionando e fazendo o gol. Isso já trouxe o torcedor para o nosso lado".
 
Já Gabriel Jesus, autor de gols dois gols na goleada de 6 a 0 sobre Honduras, também evitou fazer projeções sobre um confronto contra a Alemanha na grande final. "São campeonatos e atmosferas diferentes. Só não mudou o país anfitrião. Se acontecer, vai ser um outro jogo e uma outra história", frisou Gabriel Jesus.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook