Brasil domina mais uma vez o pódio no Sul-Americano

Seleções Individuail e de Conjunto conjugaram mais seis medalhas na competição / Foto: DivulgaçãoSeleções Individuail e de Conjunto conjugaram mais seis medalhas na competição / Foto: Divulgação

Bolívia - O Brasil voltou a se destacar no quadro de medalhas do Campeonato Sul-Americano de Ginástica Rítmica, realizado em Cochabamba, na Bolívia. Além das duas que haviam sido conquistadas ontem, nesta quinta-feira (28) as Seleções Individual e de Conjunto subiram ao pódio mais seis vezes, inclusive conquistando o título por equipe no individual e do conjunto geral.
 
Na competição individual por aparelhos, Natália Gaudio subiu ao pódio duas vezes, e Mariany Miyamoto e Karine Walter também comemoraram resultados. Vale lembrar que as duas jovens atletas fazem a estreia na competição.
 
Na final da fita, a dobradinha no pódio foi de Natália e Mariany. Natália conquistou o ouro, com 13,350, e Mariany a prata, com 12,150. Javiera Rubilar, do Chile, com 11,400, ficou com o bronze.
 
O ouro mais uma vez foi de Natália na decisão das maças. A capixaba somou 13,150. Karine Walter garantiu a terceira colocação, com 11,450. A colombiana Lina Dussan fez 12,250 e ficou com o segundo lugar.
 
Ontem, primeiro dia do campeonato, a Seleção Individual também garantiu quatro pódios. Na final do arco, Mariany Miyamoto ficou com a prata (13,000), e Natália Gaudio foi bronze (12,250). Já na bola, Natália garantiu a medalha de ouro (14,850), e Mariany levou o bronze (13,050).
 
Natália também continuou na liderança da classificatória do individual geral, que terá as finais realizadas nesta sexta-feira (29). Ela somou 44,000 no total. Também classificada, Mariany Miyamoto ocupa a segunda colocação, com 37,700.
 
"Estamos muito felizes pelo resultado. A equipe brasileira foi campeã, com as três ginastas contando nota para a somatória e foi visível o crescimento do primeiro para o segundo dia, com o nível técnico ainda mais alto. Nas finais, a Natália conquistou três ouros e um bronze, confirmando que está entre as melhores do Continente Americano. Mariany foi uma grande surpresa, que pontuou conquistando medalhas, assim como a Karine, que fez a estreia também com a primeira medalha na carreira dela no Sul-Americano", disse Monika Queiroz, treinadora da Seleção Individual.
 
Vanessa Hagemann, técnica de Mariany, comemorou o saldo na competição até aqui. "Foi um resultado muito positivo. A equipe do Brasil terminou com o primeiro lugar, o que era nosso objetivo, e como técnica da Mariany me sinto extremamente satisfeita com a competição, pois ela foi medalhista e isso foi uma conquista para o primeiro ano dela na categoria adulta", lembrou.
 
O conjunto hoje se apresentou com a série de três bolas e duas cordas. A apresentação obteve a nota de 12,650, que somada ao resultado de ontem na série de cinco arcos (16,400), rendeu ao País o pódio do conjunto geral na primeira colocação, com 29,050. O Chile foi o segundo colocado no geral, com 19,900, e a Argentina a terceira, com 16,350.
 
"Hoje tivemos muitas falhas no conjunto de corda e bola. Essa coreografia é mais dinâmica e veloz e, por isso, as ginastas sentiram mais a altitude, saíram da quadra no limite, além da altura do ginásio não ser suficiente, o que fez com que alguns lançamentos batessem no teto. Mesmo assim, estamos felizes porque conseguimos mais uma vez o título de campeãs sul-americanas. Agora vamos seguir com foco amanhã nas finais para melhorar nossas notas e seguir trabalhando forte para o Pan de Daytona", avaliou a treinadora do conjunto, Camila Ferezin.
 
Programação
Sexta-feira (29)
Final individual geral
Finais conjunto
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook