Seleção de Conjunto de Ginástica Rítmica ganha novas integrantes em janeiro

Atletas que estiveram não avaliação e as ginastas que já integram a Seleção  / Foto: DivulgaçãoAtletas que estiveram não avaliação e as ginastas que já integram a Seleção / Foto: Divulgação

São Paulo - A Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica de Conjunto terá novas integrantes a partir de janeiro. Cinco atletas selecionadas durante avaliação realizada no Centro Nacional de Treinamento da modalidade, em Aracaju (SE), durante este mês, retornarão ao local, agora como a nova casa delas. As novas integrantes irão se juntar a outras quatro ginastas que já fazem parte da equipe e irão permanecer.
 
A Seleção de Conjunto tem tido uma evolução constante nos últimos anos e, inclusive, em 2017 conquistou resultados importantes como prova disso.
 
O grupo comandado pela treinadora Camila Ferezin teve um resultado expressivo no primeiro Mundial do novo ciclo olímpico, em Pesaro (Itália) no mês de setembro, e terminou na 13ª posição no geral, à frente de potências da modalidade como Alemanha e Espanha, vice-campeã olímpica.
 
Alem disso, a equipe brasileira conquistou três medalhas de ouro no Sul-Americano de Cochabamba, na Bolívia, uma na série de cinco arcos, um na de três bolas e duas cordas e também no conjunto geral.
 
Por último, no Pan-Americano de Daytona Beach, nos Estados Unidos, garantiu o ouro no all around e na série das três bolas e duas cordas, e mais a prata nos cinco arcos.
 
As novas integrantes do conjunto são Alessandra Maria Corrêa - AGIBLU (SC), Débora Medrado - Escola de Campeãs (ES), Gabriela Paixão - GNU (RS), Nicole Pircio Duarte - Unopar (PR), Victoria Anderson S. Borges - C.S.S (SE), que se juntarão à Alanis Popper C. Ávila - AGIN/NORSUL (SC), Francielly Machado Pereira (Italo-Brasileiro (ES), Gabrielle Moraes -Unopar (PR) e Jéssica Maier Agiblu (SC).
 
Camila Ferezin mostra otimismo com relação à nova formação. “A maioria dessas atletas são ginastas jovens e talentosas que estão entrando na categoria adulta agora. Estou esperançosa que com muito trabalho vamos conseguir melhorar ainda mais nosso nível técnico futuramente”.
 
Ela ressalta o crescimento do conjunto ao longo dos últimos anos. “Nosso início de ciclo foi muito bom. Conseguimos manter a hegemonia na América e melhorar nossa posição no Campeonato Mundial. Em 2018, queremos fechar o grupo para o resto do ciclo olímpico e minha expectativa é que pela primeira vez consigamos realizar este feito. Sendo assim não tenho dúvidas que conseguiremos atingir ainda melhores resultados no próximo ano”, projetou.
 
As atletas ficarão concentradas para os treinamentos no Centro de Aracaju (SE) a partir do dia 22. Lá seguirão a intensa rotina de trabalho com o acompanhamento de uma equipe técnica interdisciplinar, que dá toda a assistência necessária para que a equipe possa buscar os resultados planejados. “Iniciamos os treinamentos no dia 22 com a parte física e técnica pela manhã, fortalecimento muscular na fisioterapia a tarde e à noite palestras da equipe interdisciplinar comandadas pelos profissionais que trabalham com a Seleção de Conjunto, o médico responsável, Dr. Reutheman, da clínica CEOT, fisioterapia com a equipe da REAB, comandado pelo Dr. Paulo Márcio, da nutricionista, Dra Renata Rebello e do psicólogo, Dr Alvaci Resende”, contou Camila.
 
Apesar da nova formação, o trabalho que já foi feito até agora terá continuidade, apenas com a manutenção para a evolução da equipe. “Vamos manter as músicas e aprimorar as coreografias, para podermos ter um tempo de treinamento dedicado aos aparelhos que vamos utilizar em 2019 e 2020, que serão primordiais para a classificação olímpica”, explicou a treinadora.
 
Entre as novas integrantes, vindas de varias partes do País, uma delas não terá que fazer uma mudança geográfica para se juntar à Seleção. Victoria Anderson S. Borges, do C.S.S (SE), é de Aracaju e poderá ficar perto de casa. Camila acredita que desde que o Centro de Treinamento foi montado na capital sergipana, a modalidade teve um crescimento local também , principalmente pelo contato das ginastas de lá com a Seleção. “Acredito que essa convocação seja reflexo do fato da Seleção de Conjunto estar concentrada aqui em Aracaju. É natural que a ginástica rítmica tenha se desenvolvido muito estes últimos anos na cidade. É um privilégio ter as referências da América tão perto “, finalizou.
 
Além de Camila, a equipe será acompanhada pela assistente técnica Bruna Rosa, a coordenadora do Comitê de Ginástica Rítmica da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Renata Teixeira.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook