Natação brasileira finaliza período de aclimatação

Bruno Fratus / Foto: Satiro Sodré / AGIF Bruno Fratus / Foto: Satiro Sodré / AGIF

Londres - A natação brasileira finaliza nesta terça-feira, 24/07, o período de aclimatação no Crystal Palace e às 16 horas (12h, de Brasília) entra na Vila Olímpica. A equipe chegou à Londres em clima de total concentração para que tudo saísse bem nos ajustes finais da longa preparação, que incluiu 35 ações entre treinamentos em altitude, treinamentos especiais, competições seletivas e de avaliação.

 
Kaio Márcio Almeida se juntou ao grupo e na manhã de terça-feira, 23/07, já treinou com a seleção. Graciele Herrmann completará o time de 19 nadadores na quarta-feira, 25/07, mas não segue para a Vila. Treinará no Crystal Palace e entra na Vila no dia 1/08. Sua prova, 50m livre, só terá eliminatórias no dia 3/08, penúltimo dia da modalidade.
 
Nesta segunda-feira, 23/07, o chefe da equipe, Ricardo de Moura; o biomecânico Paulo Cesar Marinho; e os médicos Gustavo Magliocca e Marcus Bernhoeft falaram do estado geral dos atletas e como foi planejado e realizado todo o ciclo olímpico dos principais nadadores do país. Ricardo de Moura alertou para o fato de que esta é a equipe de natação mais bem preparada que o país já teve e que espera que isto se traduza em resultados, para que ao final possa dizer que esta foi a melhor seleção brasileira de natação de todos os tempos.
 
- Eu acho que essa vai ser uma Olimpíada de muitas surpresas, principalmente nas provas masculinas. No feminino acho que está mais equilibrado. Vocês verão a nova geração aparecendo bastante e por isso é muito difícil fazer previsões. Temos os nossos atletas que estão entre os 10 do ranking mundial, entre eles Cielo, Felipe França e Thiago, mas supresas podem acontecer. Todos os nadadores que passaram por aqui falaram que querem a medalha e isso é um bom sinal. O primeiro passo pra subir no pódio é querer e realmente acreditar que pode conseguir. Eles não tem medo de dizer abertamente que querem isso - disse.
 
O doutor Gustavo Magliocca, especialista em medicina do esporte pela USP trata de 14 dos 19 nadadores da equipe brasileira. Ele garantiu que a equipe toda está muito bem de saúde e que nenhum atleta apresenta qualquer problema. Ele trabalha com a natação desde 2008 e segue de perto a dura rotina de treinos em todos os seus estágios.
 
O Dr. Marcus Bernhoeft, que monitora os dados de cada nadador ao longo de cinco ciclos olímpicos, hoje tem um retrato de como o time evoluiu e afirma que atualmente os nadadores brasileiros estão dentro do perfil internacional dos atletas de alto nível em seus respectivos estilos (altura, peso, envergadura e outros dados).
 
Paulo Cesar Marinho (PC), doutor em biomecânica pela UNICAMP, analisa os movimentos da natação brasileira desde 2002. Seu trabalho consiste em ver cada detalhe de todo o percurso de cada prova, desde a saída até a batida de mão na placa eletrônica. Esses fundamentos são vistos e comparados com alguns dos principais adversários de cada um.
 
- A gente divide a piscina em três partes e aí começa um trabalho de investigação. É comum ver um atleta que, por exemplo, ganhou a prova, mas teve a pior saída de todas. Ou então um nadador que em alguma dessas fases não foi tão bem. Nosso trabalho é investigar os motivos disso - explicou.
 
O doutor Magliocca explicou também que o trabalho agora é manter na Vila Olímpica o mesmo clima de concentração e fazer com que os atletas não saiam do que foi programado, principalmente no tocante a alimentação, disciplina e concentração. Ainda na terça-feira, 24/07, após se instalar na Vila Olímpica, entre 17 e 18 horas (entre 13h e 14h, de Brasília) a equipe vai à piscina principal.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook