Sem ingressos, brasileiros dão "jeitinho" para ver Parque Olímpico

A vista que atrai centenas de pessoas em frente ao Parque Olímpico / Foto: Humberto Deveza / EAA vista que atrai centenas de pessoas em frente ao Parque Olímpico / Foto: Humberto Deveza / EA

Londres - Para ter acesso ao Parque Olímpico, o principal local de competições nos Jogos de Londres, é preciso ter um ingresso para alguma das competições que ocorrerão dentro dele - seja no Estádio Olímpico, no Velódromo, na Arena de Basquete ou no Centro Aquático. Graças a essa imposição do Comitê Olímpico, muitas pessoas chegam até o centro de competições e descobrem que não poderão conhecer ou ter uma boa vista dos locais que o Parque comporta. 

 
É o caso da brasileira Daniela Lins, de Sorocaba, que está em Londres há alguns meses mas ainda não conhecia o Parque Olímpico. "Não sabia que eles pediriam ingresso, quando cheguei o fiscal pediu e eu até me assustei", destaca. Mas a sorocabense deu um jeitinho, que, aliás, acabou se tornando comum em quem está na mesma situação que ela. "Aí o jeito for vir para a John Lewis, que um amigo já havia nos dito que tinha uma vista linda para o Parque", afirma.
 
A loja a que Daniela se refere fica no Westfield London Shopping Centre, o maior Shopping de toda a Europa, que fica em frente ao Parque Olímpico, a oeste de Londres. O conjunto comercial começou a funcionar, inclusive, no ano passado, há alguns meses da abertura dos Jogos. Agrega centenas de lojas, desde telefonia celular e roupas até um cassino consideravelmente grande.
 
E dentre as lojas de departamento, há uma que chama a atenção, por ficar logo na entrada e por ter um grande fluxo de pessoas. É a John Lewis. Nela é possível, no terceiro andar, encontrar a loja revendedora dos produtos oficiais dos Jogos. Há uma grande variedade de coisas, como pins, imas, roupas, bonecos de pelúcia, material escolar e caneca mas todos são, diga-se, muito salgados - um pin custa 6 libras, que equivalem aproximadamente a R$ 21. 
 
Além da loja com os produtos oficiais, o terceiro andar é onde Daniela e outras centenas de pessoas vão para ter uma boa vista do Parque Olímpico. O lugar se tornou tão concorrido que já são cobradas duas libras para ter acesso a ele. "É meio improvável pagar para entrar em uma loja, mas vale a pena pela vista privilegiada", justifica Daniela. 
 
Outros brasileiros estavam no local, assim como estão espalhados por toda a cidade de Londres - afinal, mais de 50 mil ingressos foram vendidos para o Brasil, um recorde. Fernando Eistmenter, carioca mas morador de Londres há sete anos, recomenda o lugar e diz que é uma alternativa, ainda que concorrida, para fugir do lotado Parque Olímpico. "Aqui já começou a ficar difícil, tem filas... Mas nem se compara com a agitação do Parque. E a vista é mais geral, então dá para ter noção do tamanho dele e ver os principais locais de competição", afirma.
 

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook