Equipe brasileira de remo vai a Guadalajara com 19 atletas

A seleção nacional é formada por 19 atletas, que garantiram a vaga em julho, na capital fluminense / Foto: DivulgaçãoA seleção nacional é formada por 19 atletas, que garantiram a vaga em julho, na capital fluminense / Foto: DivulgaçãoRio de Janeiro - A delegação brasileira de remo que competirá nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro, intensifica o ritmo de treinos em um belo cenário: na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro. A seleção nacional é formada por 19 atletas, que garantiram a vaga em julho, na capital fluminense.

Dez integrantes da equipe são beneficiados pelo programa Bolsa-Atleta, do Ministério do Esporte: Fabiana Beltrame, Kissya Cataldo da Costa, Ailson Eraclito da Silva, Allan Bitencourt, Célio Dias Amorim, Alexis Arias Mestre, Camila Carvalho e Carvalho, João Hildebrando Borges Junior, Anderson Nocetti e Luciana Granato. A maior esperança de medalha é Fabiana Beltrame, que no início de setembro conquistou o primeiro ouro do País em Mundiais de Remo, na competição disputada em Bled, na Eslovênia. A delegação técnica que viaja para o México é composta pelos treinadores Marcos Amorim, Alexandre Fernandes e Marcelo Neves.

As atividades do remo nos Jogos Pan-Americanos acontecem de 15 a 19 de outubro. Os remadores brasileiros competirão nas categorias double-skiff masculino peso leve, quatro sem masculino peso leve, quatro sem masculino, dois sem masculino, skiff feminino peso leve, skiff feminino, double-skiff feminino peso leve e double-skiff feminino.

Para Allan Bittencourt (foto), competir nos Jogos de Guadalajara não terá a emoção de uma estreia. “É um dos eventos mais importantes na carreira de um atleta. Participei do Pan em 2003, de Santo Domingo, e do Pan do Rio, em 2007. Devido a isso, adquiri grande experiência e conquistei medalhas em outros eventos internacionais”, afirma. O remador considera a bolsa fundamental para treinar e competir em alto nível. “O benefício me ajuda no dia a dia com algumas necessidades, como aquisição de materiais específicos para o remo, que se desgastam, e boa alimentação”, completa.

João Hildebrando Borges Junior considera a competição especial: “Foi onde consegui meu primeiro resultado expressivo internacionalmente, além de ser o evento mais importante depois das Olimpíadas”. Ele disputará a categoria dois sem classe aberta, com Alexis Mestre. Os dois treinam diária e exaustivamente, em dois turnos, nos sete dias da semana. Segundo João Hildebrando, “o Bolsa-Atleta ajuda a manter constante meu desempenho, suprindo minhas necessidades como desportista de alto rendimento”.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook