Campeonato Brasileiro de Wrestling abre temporada nacional da modalidade

Principais atletas do país se enfrentam dia 17 de fevereiro no Jequiá Iate Clube / Foto: Mayara Ananias /CBWPrincipais atletas do país se enfrentam dia 17 de fevereiro no Jequiá Iate Clube / Foto: Mayara Ananias /CBW

Rio de Janeiro - O wrestling nacional abre oficialmente seu calendário de competições no próximo sábado, dia 17 de fevereiro com o Campeonato Brasileiro de Wrestling, a partir das 9h, no Rio de Janeiro. O torneio será disputado com as novas regras oficiais da United World Wrestling (UWW), com trinta categorias de peso divididas igualmente em cada um dos estilos olímpicos, greco-romano, livre e wrestling feminino.
 
Outra mudança importante foi o dia da pesagem, agora será no mesmo dia das lutas. O objetivo da UWW é reduzir a excessiva perda de peso dos atletas durante as competições em todo planeta.
 
"Consegui me adaptar bem a essa mudança de peso. A categoria em que luto passou de 63 para 62 kg, e geralmente peso 64kg. Para mim não vai ter Carnaval, faça chuva ou faça sol tenho que estar me preparando para as batalhas. A preparação segue forte e direcionada para o Brasileiro e para os outros torneios do ano", comentou Lais Nunes, atleta integrante da delegação brasileira para os Jogos Olímpicos do Rio em 2016 e melhor lutadora nacional no último Campeonato Mundial com um décimo lugar na antiga divisão até 63kg.
 
Além do título, os atletas buscam integrar a equipe brasileira que disputa duas importantes competições ainda no primeiro semestre. O Pan-americano de Wrestling, em maio, no Peru, e os Jogos Sul-americanos em Cochabamba na Bolíva, no mês de junho, são as principais competições da primeira metade do ano. Para o amazonense David Moreira, categoria até 57kg do estilo livre, o momento é de retorno.
 
Prata no Pan da modalidade em 2017, David sofreu uma fratura e ficou de fora do Campeonato Mundial. Totalmente recuperado, o jovem de 19 anos não vê a hora de retornar a competir e reforçar a forte equipe do Amazonas.
 
"As expectativas para este Brasileiro são as melhores possíveis. Infelizmente fraturei a clavícula e não pude participar do Campeonato Mundial ano passado. Mas já estou 100% fisicamente e vou entrar com tudo para conquistar o ouro para o Amazonas", explicou David, uma das esperanças nacionais para Tóquio 2020.
 
Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook