Brasil perde para Cazaquistão por 9 a 5

Izabella Chiappini / Foto: Satiro Sodré / Divulgação CBDAIzabella Chiappini / Foto: Satiro Sodré / Divulgação CBDA

Barcelona - A seleção brasileira de polo aquático feminino perdeu para o Cazaquistão por 9 a 5, num jogo dividido em duas partes. No primeiro e último quarto, a equipe esteve bem e encarou o adversário de igual para igual, dando a nítida impressão que tinha condições de obter um resultado melhor. Mas nos segundo e terceiro períodos, o time se desconcentrou e perdeu muitas bolas que originaram contra-ataques e pior, gols adversários. As parciais foram BRA 2 x 2 KAZ / 0 x 3 / 0 x 2 / 3 x 2 e a artilheira do jogo foi a brasileira Izabella Chiappini, com três gols. Os outros do Brasil foram de Marina Zablith.
O jogo começou bem equilibrado e ficou assim até o fim do quarto inicial com o Cazaquistão abrindo o marcador aos 6’59 para o fim do quarto, mas com o Brasil virando o placar com dois gols Zablith, o segundo em jogada de mulher a mais (aos 4’44 e 3’23) No quarto seguinte, apesar de bons ataques desperdiçados, o Cazaquistão acertou o chute e marcou três vezes, abrindo uma boa diferença no placar: 5 a 2. Manuela, goleira brasileira, impediu que a diferença fosse maior.
 
No início do terceiro quarto, o Brasil voltou mais impetuoso e teve no começou um penalti a favor. Mirella bateu aos 7’13, mas a bola “sardinhou” na água e subiu. Na jogada seguinte, gol do Cazaquistão. As brasileiras continuaram a ter boas chances, mas não souberam transformar em gols. O Cazaquistão fez mais um. No fim, a bola terminou em mãos brasileiras com grande chance de balançar as redes, mas o tempo esgotou.
 
O quarto final começou com dois gols do adversário e parecia que a equipe brasileira tivesse se desmotivado de vez, até que Isabela conseguiu marcar seu primeiro gol na partida. E outros dois vieram em seguida, sempre pela esquerda de ataque. Os dois primeiros em jogadas de mulher a mais, e o terceiro em rápido contra-ataque (aos 6’10, 3’30 e 2’56). O time brasileiro começou a incomodar o rival e um penalti visível em cima de Zablith não foi marcado. No final, 9 a 5 para o Cazaquistão, mas com equilíbrio nas estatísticas, com o Brasil com aproveitamento de 3 em 5 jogadas extras, contra 3 em 7 do Cazaquistão. As adversárias aproveitaram 9 dos 26 arremessos, e as brasileiras 5 em 23.
 
Todas as 13 brasileiras participaram do jogo, mas quem mais tempo ficou na piscina foi Marina Zablith, com 31’41. A goleira reserva Victoria Chamorro entrou a partir de 1’14 para o fim do terceiro quarto. "Cometemos muitos erros, e tomamos muitos contra-ataques, o que desorganizou a defesa, após um bom início. Talvez este equilíbrio inicial tenha desconcentrado o time. E hoje tinha que dar, era uma cobrança nossa, mas vai ficar para a próxima", disse Marina Zablith. Isabella afirmou que “nós temos que melhorar muito nossos ataques, o que tentamos fazer nos últimos oito minutos de jogo”.
 
O Brasil joga contra a Itália na última rodada da fase de classificação, na 5ª feira, 25/7, a partir das 8h30, de Brasília. O Brasil jogou de toucas azuis com 1 – Manuela Canetti / 2 – Diana Abla / 3 – Marina Zablith (2 gols) / 4 – Marina Canetti (capitã) / 5 – Lucianne Maia / 6 – Adhara Santoro / 7 – Melani Dias / 8 – Izabella Chiappini (3) / 9 – Victoria Muratore / 10 – Flavia Vigna / 11 – Mirella Coutinho / 12 – Viviane Bahia / 13 – Victoria Chamorro. Técnica: Sandy Nitta. Auxiliar-técnico: Roberto Chiappini. Árbitros: Manol Taylan (Turquia) e Nenad Golijanin (Sérvia).

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook