Brasil supera nervosismo e consegue fugir da Coreia na estreia

Marcus D'Almeida foi o arqueiro brasileiro mais estável nesta sexta / Foto: Quinn Rooney / Getty ImagesMarcus D'Almeida foi o arqueiro brasileiro mais estável nesta sexta / Foto: Quinn Rooney / Getty Images

Rio de Janeiro - Começou nesta sexta-feira as disputas do tiro com arco, no Sambódromo do Rio, palco da modalidade nas Olimpíadas. O Brasil, que pela primeira vez levou uma equipe para os Jogos, terminou na 11ª colocação por equipes, de 12 concorrentes. O que pode parecer ruim foi na verdade um objetivo alcançado, segundo o técnico Evandro França. 

"Entre todas as colocações, essa acabou não sendo tão complicada, porque a gente fugiu da Coreia, um adversário muito difícil. Mas a gente tem pedreira, a China é forte, em momento nenhum pode descuidar. As 12 melhores equipes do mundo estão aqui, então qualquer descuido você perde", declara. 

A Coreia terminou em primeiro lugar no qualificatório e tem o agora recordista mundial, Kim Woojin, que quebrou a marca no Sambódromo. Com o resultado, o Brasil enfrentará a China na próxima rodada, já de mata mata. "É um resultado possível. A gente tem arqueiros tão bons quanto eles", emendou o treinador. 

Perguntado se a meta das Olimpíadas seria passar de fase, Evandro foi enfático. "A gente nunca passou uma fase, por equipes ou individual. É a primeira vez que a gente leva uma equipe. Então uma vitória é histórica", analisa.

Ele, porém, quer mais. "Mas a gente veio para fazer diferente, escrever uma história, eu confio nos meus atletas, a gente trabalhou muito para isso", conclui o brasileiro.

Veja Também: 

 

 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook