Federação reclama de barulho em evento teste e trânsito poderá ser revisto

Região do Sambódromo poderá ter trânsito alterado para tiro com arco durante as Olimpíadas / Foto: Esporte AlternativoRegião do Sambódromo poderá ter trânsito alterado para tiro com arco durante as Olimpíadas / Foto: Esporte Alternativo

Rio de Janeiro - Iniciado na última segunda-feira, 15, o evento teste do tiro com arco, no Sambódromo, tem ocorrido até aqui sem grandes problemas. Neste domingo, dia das disputas por equipes, porém, um problema foi levantado pelo secretário geral da Federação Internacional de Tiro (World Archery), Tom Dielen. 

Para ele, o barulho nas avenidas no entorno do Sambódromo pode se tornar um problema. “Uma das nossas preocupações são os apitos e buzinas, porque há sinais sonoros na competição para começar ou parar de atirar, ou até mesmo se é uma emergência. Os atletas reagem a esses sons pensando que há algo errado. Isso é uma preocupação e temos que ficar atentos nos próximos dias”, afirmou Dielen.

O tiro com arco é um esporte que está, até certo ponto, acostumado com os barulhos, principalmente da torcida. No evento teste deste domingo foi permitida a entrada de convidados. Amigos e familiares dos arqueiros, sobretudo dos brasileiros, encararam o sol forte e fizeram bastante barulho das arquibancadas.

Para Aguiberto Guimarães, diretor executivo de esportes do Comitê Rio 2016, a questão é complicada. O diretor, que havia dito antes de Dielen elencar a questão estar tranquilo quanto ao barulho do tráfego, isso precisa ser conversado com a prefeitura. 

Atletas, porém, não reclamaram de barulho externo / Foto: Esporte AlternativoAtletas, porém, não reclamaram de barulho externo / Foto: Esporte Alternativo

"A gente não quis mexer [no trânsito] até chegar no evento. O evento vai nos dizer se precisa ou não. Mexer com trânsito é mais complicado. Talvez aumentar a barreira acústica... É mais fácil do que mexer com o trânsito. Então vamos esperar terminar este evento, acaba na terça-feira, vamos ouvir todo mundo envolvido aqui. O pessoal que trabalhou do nosso lado na organização, os representantes dos atletas... Porque se eles disserem que pra eles não tem nenhum problema nós não precisamos mexer com isso", garantiu. 
 
Aguiberto menciona a boa relação com a prefeitura e dá a entender que solicitar bloqueios no trânsito pode prejudicar isto. "A última coisa que a gente quer é causar um transtorno no trânsito da cidade e impedir que as pessoas possam andar livremente pra um lado e pro outro. A prefeitura é um parceiro da gente, a gente quer preservar esse tipo de coisa. Seria a última solução. Caso precise, a gente vai conversar com a prefeitura, nós não mexemos em nada que toque a vida da cidadão na cidade sem o aval da prefeitura", afirma.
 
De qualquer forma, o diretor torce para que tudo se mantenha como está sendo no evento teste, sem alterações no tráfego. "Eu estou aqui torcendo pra que continue igual [risos]."
 
Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook