Brasil conquista prata inédita no tênis de mesa

Caroline Kumahara, uma das representantes brasileiras / Foto: Reprodução FacebookCaroline Kumahara, uma das representantes brasileiras / Foto: Reprodução Facebook

Toronto - O brasileiríssimo sobrenome de Ligia Silva se destacava entre os nomes das brasileiras Lin Gui (nascida na China, naturalizada) e Caroline Kumahara (nascida no Brasil, de família japonesa) e os das sino-americanas Jiaqi Zheng, Lily Zhang e Yue Wu na final feminina do tênis de mesa por equipes nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, na tarde desta terça-feira, 21 de julho. Aos 34 anos, Ligia usou sua experiência para, junto às jovens Lin e Caroline, conquistar uma medalha de prata inédita para o Brasil. Até então, o país tinha dois bronzes, também por equipes, em Havana 1991 e Winnipeg 1999. Nesse segundo, Ligia estava presente, somando agora duas medalhas pan-americanas da sua história. 

“Na minha primeira medalha, eu era uma menina de 18 anos que não tinha a noção da grandeza que um Pan representa. Esse é meu quinto Pan, minha segunda medalha, agora de prata. Já vim aqui com a missão de conquistá-la. Hoje, sei o que significa”, disse Ligia, com os olhos cheios de lágrimas, misto de tristeza pela derrota na final e felicidade pela prata. 
 
No primeiro jogo do confronto entre Brasil e Estados Unidos, Lin Gui foi derrotada por Jiaqi Zheng por 3 sets a 1, parciais de 11 a 7, 9 a 11, 6 a 11 e 8 a 11. No segundo, Caroline Kumahara fez um jogo duro contra Lily Zhang e chegou a ter a chance de fechar o quinto set em 11 a 9, para vencer a partida. Acabou derrotada por 3 sets a 2, parciais de 3 a 11, 11 a 7, 4 a 11, 11 a 5 e 10 a 12. No último, em duplas, Ligia e Lin perderam para Zheng e Wu por 3 sets a 0, parciais de 10 a 12, 6 a 11 e 8 a 11.
 
“Pelo meu jogo ter sido tão disputado, por eu ter tido a chance de fechar, foi difícil aceitar a derrota. Mas estou feliz pela medalha”, disse Caroline, 19 anos, também com os olhos marejados. Mas ninguém chorou tanto quando Ling, de 21 anos. “É meu primeiro Pan, fiquei emocionada”, explicou a atleta, enquanto tentava se comunicar com a mãe, que mora na China.
 
No comando dessa equipe de prata, um homem que ganhou 15 medalhas pan-americanas como atleta: 10 ouros, uma prata e quatro bronzes entre 1987 e 2011. Depois de sete Pans, Hugo Hoyama, 46 anos, chegou ao seu oitavo em Toronto, mas como treinador do time feminino. “A gente veio com esse intuito, de conquistar uma medalha. Agora vem a competição individual, e aposto em uma das meninas na final também. Confio muito nelas”, afirmou Hugo.


Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook