Flávia de Lima faz melhor tempo da carreira e conquista o bronze

Flávia de Lima / Foto: Wagner Carmo / CBatFlávia de Lima / Foto: Wagner Carmo / CBat

Toronto - O Atletismo do Brasil conquistou mais uma medalha nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Foi com Flávia Maria de Lima, bronze nos 800 m nesta quarta-feira (dia 22), na pista da York University.

A paranaense de 22 anos completou as duas voltas em 2:00.40, melhor tempo de sua carreira. Com o resultado, Flávia ratificou os índices para o Mundial de Pequim, em agosto, e para os Jogos Olímpicos Rio 2016. O melhor resultado pessoal anterior era de 2:00.81.
 
"Estou muito feliz com a marca e principalmente com a medalha. Um lugar no pódio era o meu grande objetivo. Agora, quero correr a prova em menos de 2:00.00 e no ano que vem a luta será para bater o recorde brasileiro", comentou a corredora, referindo-se à marca de 1:58.27, que desde 1995 pertence a Luciana de Paula Mendes.
 
Flávia lembrou que desde que chegou a Toronto tem treinado com o foco numa medalha. "Repeti sempre que iria ganhar. Acho que o psicológico é muito importante, mas até do que o físico numa final", disse a campeã brasileira e vice-campeã sul-americana, treinada por Luiz Alberto de Oliveira. "O vento estava muito forte e atrapalhou um pouco. O resultado poderia ter sido um pouco melhor em condições normais", concluiu.
 
A atleta não terá muito tempo para descansar. Ela volta à pista do Estádio Pan-Americano no próximo sábado (25) para a disputa da final dos 1.500 m.
 
A medalha de ouro da prova desta quarta-feira foi para a canadense Melissa Bishop, com 1:59.62, e a de prata para a norte-americana Alysia Montana, com 1:59.76.
 
Emoção nos 100 m

Quem chegou bem perto de uma medalha também foi a velocista Rosângela Santos, quarta colocada nos 100 m, com 11.04 (igualou o melhor tempo da carreira). Na final, Ana Cláudia Lemos terminou em sétimo lugar, com 11.15. A prova foi disputada com vento regular, com velocidade de 0.9 m/s.
 
"Treinei muito para conquistar uma medalha e acho que poderia ter feito melhor", disse Rosângela, com lágrimas nos olhos. "Repeti meu recorde pessoal, mas não é consolo. As outras meninas correram mais. Acho que eu não tive paciência. Vi a prova indo embora", lamentou.
 
Ana Cláudia encarou com maior tranquilidade o resultado. "Queria muito de correr abaixo dos 11 segundos, mas infelizmente não consegui. Saio tranquila porque tentei fazer o melhor", afirmou a atleta, que disputa os 200 m a partir desta quinta-feira. "É bom ressaltar que a menina do Equador bateu meu recorde sul-americano (11.01) e a primeira a correr abaixo dos 11 segundos", completou, referindo-se a Angela Tenório, medalha de prata, com 10.99.
 
A jamaicana Sherone Simpson conquistou a medalha de ouro, com 10.95, enquanto a norte-americana Barbara Pierre ficou com o bronze, com 11.01.
 
No desempate

Wagner Domingos, o Montanha, também terminou em 4º lugar. Ele perdeu o bronze para o norte-americano Conor McCullough no desempate (a segunda melhor marca na competição), ambos obtendo 73,74 m. "Batalhei até o fim. Acreditei que daria, mas acabei cometendo muitas faltas", comentou. "Vou fixar novos objetivos e tentar melhorar minhas marcas pensando na Olimpíada do Rio", concluiu.
 
Na prova, o brasileiro Allan Wolski ficou em 5º lugar, com 72,72 m. O norte-americano Kibwe Johnson conquistou o ouro (75,46 m) e o cubano Roberto Janet a prata (74,78 m).
 
Nas outras finais do dia, Geisa Arcanjo terminou o arremesso do peso em 9º, com 17,18 m, enquanto Higor Silva Alves ficou em 10º no salto em distância, com 7,60 m (1.5).
 
No decatlo, após a disputa das cinco primeiras provas, Felipe Vinícius dos Santos ocupa a 2ª colocação, com 4.397 pontos. Luiz Alberto de Araújo está em 4º, com 4.267. O líder é o canadense Damian Warner, com 4.460 pontos.
 
"Consegui os melhores resultados de minha carreira nos 100 m, salto em altura e no arremesso do peso. Minha meta é superar pela primeira vez os 8.000 pontos", disse Felipe Vinícius, que passou dois meses treinando em Fórmia, na Itália.

Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook