Brasil derrota Argentina na prorrogação e é ouro no hand masculino

Já classificado para as Olimpíadas, o Brasil usou a competição para recuperar a hegemonia da modalidade no Pan / Foto: Danilo Borges / Brasil2016.gov.brJá classificado para as Olimpíadas, o Brasil usou a competição para recuperar a hegemonia da modalidade no Pan / Foto: Danilo Borges / Brasil2016.gov.br

Rio de Janeiro - Desde que chegaram ao Canadá, os jogadores da seleção brasileira de handebol masculino nunca esconderam que estavam com a Argentina "entalada" na garganta. Desde a derrota para os hermanos em Guadalajara (2011) – resultado que tirou a equipe verde e amarela dos Jogos Olímpicos de Londres (2012) –, a vitória sobre os arquirrivais nos Jogos Pan-Americanos de Toronto se tornou uma obrigação. E a medalha de ouro veio neste sábado (25.07), após uma partida emocionante. O time do técnico espanhol Jordi Ribera venceu por 29 x 27, na prorrogação, e subiu no lugar mais alto do pódio. O goleiro Myke, ovacionado e carregado nos ombros pela torcida após o jogo, fez defesas incríveis e foi o grande destaque da final.

Já classificado para os Jogos Olímpicos Rio 2016, por ser sede, o Brasil usou a competição para recuperar a hegemonia da modalidade no Pan. O ouro em Toronto foi a oitava medalha brasileira na história do handebol masculino. Além do Canadá, o time verde e amarelo conquistou o título em Santo Domingo (2003) e no Rio de Janeiro (2007). As pratas vieram em Havana (1991), Mar del Plata (1995), Winnipeg (1999) e Guadalajara (2011). Em Indianápolis (1987) ficamos com o bronze.
 
Com um poderio ofensivo muito forte – o time teve uma média de 36,6 gols por partida -, o Brasil termina o Pan de Toronto com 100% de aproveitamento e apresentando um handebol que o credencia a brigar por medalha no Rio. "Esse é o ponto forte do nosso time. Não podemos mudar isso. Fomos crescendo durante a competição e o trabalho foi coroado com essa medalha de ouro. O povo brasileiro merece", comemorou Fábio Chiuffa, que terminou a competição como artilheiro da equipe (20 gols).
 
Herói da final, o goleiro Myke era só alegria. "Sabíamos o quanto era importante para gente derrotar a Argentina. Fizemos um bom jogo. Sei que fui importante e pude ajudar meus companheiros, mas isso aqui é um time. Merecíamos demais", disse o camisa 1 brasileiro, ostentando a medalha de ouro no peito e sendo um dos mais festejados pelos torcedores.
 
Já Jordi Ribera fez uma análise positiva da partida e destacou a superioridade brasileira na competição. "Cometemos aquele erro no tiro de sete metros, mas por tudo que fizemos durante os 60 minutos de partida, acho que merecíamos ficar com a vitória. Fomos para a prorrogação, soubemos marcar os gols na hora certa e o título foi merecido", disse o espanhol.
 
O jogo
 
As duas equipes se conhecem muito bem. Prova disso é que fizeram um primeiro tempo estudado e de muita marcação. O goleiro Myke fez uma sequência de defesas espetaculares, mas, mesmo assim, não conseguiu evitar que os brasileiros fossem para o intervalo perdendo por 11 x 9.
 
A etapa final seguiu no mesmo ritmo. Brasileiros e argentinos se alternavam no placar, sem nunca abrir uma diferença maior do que dois gols. A partida chegou empatada (24 x 24) até o último lance do jogo, quando Diogo Hubner teve um tiro de sete metros desperdiçou e forçou a prorrogação.
 
Os dois tempos de cinco minutos foram emocionantes. Thiagus Petrus acabou expulso após uma falta violenta e deixou o Brasil com um a menos por dois minutos. Mesmo assim, a equipe teve força para marcar cinco gols, vencer por 29 x 27 e retomar a hegemonia do handebol nas américas.
 
A campanha
 
Brasil 34 x 17 Canadá

Brasil 38 x 18 Uruguai

Brasil 48 x 18 República Dominicana

Brasil 34 x 24 Chile

Brasil 29 x 27 Argentina
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook