Brasil fatura prata no 4x100m masculino e bronze no heptatlo feminino

Equipe de revezamento foi beneficiada pela desclassificação do Canadé e levou a prata no 4x100m / Foto: Wagner Carmo / CBAtEquipe de revezamento foi beneficiada pela desclassificação do Canadé e levou a prata no 4x100m / Foto: Wagner Carmo / CBAt

Rio de Janeiro - Após quase ficar de fora da final e se classificar no limite, apenas com o oitavo melhor tempo das eliminatórias, a equipe do revezamento 4x100m masculino do Brasil formada por Gustavo dos Santos, Vitor Hugo dos Santos, Bruno Lins e Aldemir da Silva Junior (pela ordem de corrida) mostrou uma evolução incrível, acertou todas as passadas de bastão e com o bom tempo de 38s68 conquistou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos Toronto 2015, neste sábado (25.06). Os canadenses, que cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar, foram desclassificados após pisarem fora da raia em uma passada de bastão. Os Estados Unidos acabaram com o ouro (38s27) e Trinidad e Tobogo (38s69) completou o pódio, com o terceiro lugar.

"Quando cruzamos a linha de chegada, caí em lágrimas. Estávamos muito confiantes, porque sabíamos que estávamos muito bem. Mas precisávamos ousar. Cheguei a pensar que não conseguiria passar o bastão para o Aldemir, porque foi no limite. Fiquei doente quando cheguei a Toronto, tive febre, e não pudemos treinar como deveríamos. Estou muito feliz", disse Bruno Lins. 
 
"Todos melhoramos um pouco das eliminatórias para hoje. Nos esforçamos muito, corremos no limite. Não esperei nada, saí com tudo e o Bruno quase não conseguiu me alcançar. Fui para o tudo ou nada. Ou queimávamos e seríamos eliminados, ou iríamos para o pódio. Atletismo é isso. Deu certo!", complementou Aldemir da Silva.
 
No heptatlo, Vanessa Spinola conquistou mais um bronze para o Time Brasil em Toronto, e ficou muito próxima de atingir o índice olímpico. Com um desempenho muito regular ao longo dos dois dias de competição, a brasileira somou 6035 pontos. A pontuação necessária para sua ida aos Jogos Olímpicos Rio 2016 era de 6200 pontos.
 
"Estou muito feliz! Meu primeiro Pan e já com uma medalha. Estou morta com farofa, muito cansada mesmo. Sofri o dia inteiro com a fadiga, mas o heptatlo é uma prova de superação. Agradeço a Deus e a toda a minha família, que sempre está na torcida por mim. Esse bronze, para mim, tem gosto de ouro", disse Vanessa, que já tem o índice para o mundial da China, que é de 6075 pontos.
 
Perto da medalha
 
Mesmo sentindo a ausência de Ana Claudia Silva, que ficou fora dos Jogos Pan-Americanos após uma lesão muscular na coxa sofrida ainda na fase eliminatória dos 200m rasos, o revezamento 4x100m feminino do Brasil ficou muito próximo de uma medalha em Toronto. Em uma final muito equilibrada e de alto nível técnico, que teve a quebra do recorde dos Jogos com o tempo de 42s58 feito pelo fortíssimo time norte-americano, a equipe formada por Vitória Cristina, Vanusa dos Santos, Bruna Farias e Rosângela Santos esteve na zona do pódio durante a maior parte da prova, mas cruzou a linha de chegada na 4ª colocação com o tempo de 43s01, enquanto a equipe do Canadá garantiu o bronze com 43s00. A prata ficou com a Jamaica, que completou a prova em 42s68. 
 
"Não ganhamos a medalha, mas estamos felizes com a evolução que tivemos de ontem para hoje. A mudança na equipe foi muito grande com a lesão da Ana Claudia, e conseguimos melhorar em quase 20 centésimos a nossa marca. Falta treinar só mais um pouquinho. Para o Mundial, vamos evoluir ainda mais. Espero que a Ana consiga se recuperar rapidamente", disse Rosângela Santos, que completou: "Esperava deixar o Pan com duas medalhas, e saí sem nenhuma. Mas falando especificamente sobre o revezamento, com certeza fiquei muito feliz. O Canadá tem um time muito forte, e o que vimos hoje é que estamos em igualdade de condições com elas".
 
Após se recuperar de uma torção justamente no tornozelo que impulsiona seu salto logo no primeiro dia de treinos na pista anexa do CIBC Athletics Stadium, Fernando Ferreira não competiu na melhor das suas condições, e foi apenas o sétimo colocado do salto em altura masculino, com a marca de 2,20m. O outro brasileiro na prova foi Talles Silva, que também saltou a 2,20m, e deixou a competição com a nona colocação.
 
Nos 5 mil metros masculino, Altobeli da Silva lutou muito e chegou a cruzar a penúltima volta na liderança da prova. Porém, o esforço feito para acompanhar o pelotão de frente durante a prova foi muito grande, e o brasileiro sentiu o cansaço nos 200 metros finais, cruzando a linha de chegada esgotado e na 6ª colocação, com o tempo de 13m49s00. David de Macedo foi apenas o 12º colocado, com a marca de 14m08s56.
 
Nos 1500m feminino, as brasileiras não subiram ao pódio. Medalhista de bronze nos 800m, Flavia de Lima sentiu o cansaço após três dias seguidos de competições (além de correr os 800m, ela também fez parte do revezamento 4x400m) e foi a quinta colocada, com o tempo de 4m16s53. Kleidiane Jardim foi apenas a décima colocada, com a marca de 4m24s86. A última prova de pista nessa edição dos Jogos foi a final do revezamento 4x400m masculino. A equipe brasileira, formada por Pedro Luiz de Oliveira, Wagner Cardoso, Hederson Estefani e Hugo de Sousa e beneficiou da desclassificação de Bahamas, e foi a quarta colocada, com o tempo de 3m01s18.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook