Os benefícios do Ciclismo

E-mail Imprimir

O ortopedista e médico do esporte Maurício Póvoa Barbosa, diz que o ciclismo é indicado para todas as pessoas, de todas as idades e com qualquer nível de condicionamento físico / Foto: Márcio Kato / ZDLO ortopedista e médico do esporte Maurício Póvoa Barbosa, diz que o ciclismo é indicado para todas as pessoas, de todas as idades e com qualquer nível de condicionamento físico / Foto: Márcio Kato / ZDLSão Paulo - O ortopedista e médico do esporte Maurício Póvoa Barbosa, diz que o ciclismo é indicado para todas as pessoas, de todas as idades e com qualquer nível de condicionamento físico.

“É uma atividade que apresenta uma menor sobrecarga nas articulações, se comparada a corrida ou caminhada, diminuindo principalmente a carga sobre a articulação do joelho e da coluna”. É uma forma de diminuir o estresse do dia-a-dia, pois há liberação de endorfina e adrenalina que aumentam a sensação de bem-estar. Além disso, é uma forma de treinamento interessante para diversos grupos musculares.

Com a prática da pedalada, por 30 minutos, por exemplo, aumentos significativos na capacidade aeróbica já poderão ser observados após algumas semanas de treinamento. Além disso, ocorrerá também um acréscimo no metabolismo das gorduras.

É importante saber dosar essa atividade, aumentando gradativamente a intensidade e o volume dos treinos, dando importância aos sinais de seu organismo, como dores, desconfortos, cansaço excessivo, para não sobrecarregar a musculatura e acabar se desmotivando com a atividade. Outra dica importante é não se descuidar dos equipamentos de proteção como luzes, farol (caso pedale à noite), capacete, luvas, roupas apropriadas,hidratação com squizes próprios para a bike, etc.

O ciclismo, além de ser uma forma de treinamento físico diferente da corrida e da caminhada, ainda oferece diversos benefícios à saúde e à mente.  uma atividade prazerosa e pode ser praticada por qualquer pessoa.

Dentro ou fora? - Maurício explica as diferenças e benefícios de se pedalar ao ar livre e em uma ergométrica. O modelo tradicional é muito mais atrativo. Você consegue combinar exercício físico e transporte, aumentando o ritmo das pedaladas mais rapidamente.

O risco de lesões está presente nos dois aparelhos. Em ambos, um bom alongamento antes do treino pode prevenir o problema. E, no caso da ergométrica, o controle criterioso do peso é fundamental: “nunca pedale sem carga, evitando lesionar os joelhos ou agravar lesões já existentes nas articulações do tornozelo e da coluna”, salienta.

E, para escolher a carga ideal, peça orientação de um educador físico. "O estímulo precisa ser desafiante para que o aluno fique entusiasmado sem risco de romper ligamentos", afirma. Pouca gente sabe, mas a bike de academia foi preparada para pessoas que não podem caminhar ou que apresentam restrições para isso. "Usamos o aparelho com pacientes que operaram os joelhos e não podem sofrer os impactos da caminhada, por exemplo. O banco mais largo proporciona maior conforto genital, principalmente para os homens e se mais alto, força menos as articulações", explica Maurício. 

Biomecanicamente é importante ressaltar que a resistência exercida pela bicicleta comum é resultado da combinação entre atrito, condições do terreno, influência do peso do equipamento e do praticante. "É preciso utilizar diversos grupos musculares ao mesmo tempo para acelerar ou pegar uma subida. Normalmente as pessoas ficam em pé sobre os pedais e fazem força nos braços e glúteos a fim de aumentar a força", afirma. Já, na ergométrica, a dificuldade é controlada na carga e de acordo com os seus objetivos - emagrecer ou ganhar músculos, por exemplo. 

A ergométrica tende a ser confortável, mas é preciso prestar atenção na posição dos pedais. "Se estiverem muito abaixo do selim, causam a projeção da pessoa para frente, ocasionando dores nas costas. Além disso, a compressão genital pode ser maior e o ciclista não suporta permanecer cinco minutos sentados", argumenta o ortopedista.

A diferença entre o gasto de energia na bicicleta de rua e na ergométrica pode ser de quase 50%. Para uma pessoa de 70 quilos que pedalar durante 30 minutos em uma montain bike, o gasto calórico será de aproximadamente 310 calorias. Por outro lado, se esta mesma pessoa pedalar, na academia, durante o mesmo período gastará cerca de 180 calorias. Para emagrecer, pedalar ao ar livre é uma das melhores opções disponíveis atualmente. 

 Benefícios:

  • Melhora do condicionamento físico,dos sistemas cardíaco, respiratório e vascular;
  • O ciclista ganha resistência muscular nas pernas;
  • Gasto calórico alto - de até 600Kcal/hora;
  • Auxilia na eliminação de gorduras localizadas;
  • Excelente atividade aeróbica e anaeróbica;
  • Reduz o estresse.

 Cuidados no Ciclismo:

  • É preciso ter consciência de sua capacidade física;
  • Para evitar as lesões musculares, alongue-se  no início e no final;
  • Nunca pedale com a ponta dos pés;
  • Verifique se os pés estão fixos nos pedais;
  • Esteja bem alimentado e beba muita água durante a atividade.

 Grupamentos Musculares Utilizados no Ciclismo:

  • Quadríceps
  • Glúteos
  • Abdômen
  • Panturrilha
  • Lombar 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Volvo Ocean Race

África do Sul - Confira o show de imagens da 2ª etapa da Volvo Ocean Race

Atletismo

Mauro Vinícius - Duda 

São Paulo - Campeão Mundial fala sobre 2013 e sobre as chances em 2016

 

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook