Magic Weekends para as rugbiers que querem jogar XV

Rugby feminino ganha calendário fixo destinado ao Rugby XV em 2018 / Foto: DivulgaçãoRugby feminino ganha calendário fixo destinado ao Rugby XV em 2018 / Foto: Divulgação

São Paulo - A Federação Paulista de Rugby apoia o desenvolvimento do Rugby XV Feminino, um desejo antigo das rugbiers de São Paulo e do Brasil. Por isso, em 2018, vai promover os Magic Weekends, um total de 8 encontros ao longo do ano.
 
Serão dois dias de atividades incluindo parte teórica, treinos e jogos entre as participantes ao final de cada encontro. As rugbiers deverão se inscrever individualmente e os treinos ficarão a cargo de uma comissão técnica fixa. "As iniciativas que tivemos anteriormente pecaram pela falta de continuidade e visão de longo prazo. É importante seguirmos um planejamento técnico, para garantir um desenvolvimento contínuo e principalmente a segurança das jogadoras", ressalta Marjorie Enya, diretora do comitê feminino da FPR.
 
Já estão confirmadas na comissão técnica Lúcia Beatriz Aquila e Márcia Muller, duas ex-atletas da seleção brasileira de rugby que seguem no esporte como treinadoras. Ambas são educadoras físicas e atletas bastante experientes, e passaram por diversos cursos e capacitações pela World Rugby. Um terceiro nome  e a presença de
treinadores e educadores estrangeiros em alguns encontros estão em fase de definição.
 
Para fechar a temporada de Rugby XV Feminino, o último Magic Weekend, programado para novembro, será uma gira internacional com jogos com times de outros países. "Durante os encontros, iremos definindo as melhores posições para cada jogadora e montaremos um ou dois times para a realização de jogos amistosos para fechar esta primeira temporada", explica Lúcia.
 
O modelo adotado pela Federação Paulista de Rugby veio com Georgia Porto, uma das pioneiras do rugby feminino no interior de São Paulo, que viveu na França e estudou como o país europeu desenvolveu o Rugby XV Feminino. "Na França, as rugbiers viveram o XV dentro deste modelo por alguns anos, até que os clubes passaram a
contar com times próprios. Hoje elas têm um campeonato interno bastante competitivo e o rugby XV é a base do calendário", conta Georgia.
 
Os treinadores interessados também poderão participar dos encontros e repassar o que foi aprendido em seus clubes de origem, dando continuidade local ao desenvolvimento do Rugby XV Feminino. 
 
Com a intenção de levar as atividades para diferentes regiões do Estado, a FPR enviou a todos os clubes um formulário de intenção de sediar um dos Magic Weekends. Para isso é necessário que o clube ofereça um campo adequado para a prática de rugby, vestiários e uma sala ou espaço para as atividades teóricas. A FPR irá fornecer
ambulância e equipe médica para os encontros e contará com o clube sede na indicação de locais para alimentação e alojamento das atletas de outras cidades.
 
A inscrição de cada jogadora terá um custo que ainda não foi definido. "Estamos esperando os clubes se manifestarem em relação à intenção de sediar os encontros. Com o local definido e uma estimativa do número de participantes, iremos divulgar a inscrição e todos os detalhes para o nosso primeiro Magic Weekend de 2018, agendado para o final de semana do dia 3 de março", finaliza Camila.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook