Estrangeiros vencem a Corrida de São Silvestre 2017

O etíope Dawitt Admasu conquistou o bicampeonato no masculino / Foto: Djalma Vassão/Gazeta PressO etíope Dawitt Admasu conquistou o bicampeonato no masculino / Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

São Paulo - Os corredores estrangeiros dominaram totalmente a 93ª Corrida Internacional de São Silvestre, realizada na manhã deste domingo, em São Paulo. 
 
O etíope Dawitt Admasu conquistou o bicampeonato no masculino, com o tempo de 44min15seg, enquanto a queniana Flomena Daniel, foi a melhor no feminino, completando os 15 km em 50min18seg, em um dia que os pódios tiveram apenas atletas de outros países. Pelo Brasil, Joziane Cardoso foi a mais bem colocada no feminino, com o décimo lugar, no tempo de 54min07seg, e Éderson Vilela Pereira  no masculino,  em 12º, com 46min58seg.
 
A principal prova de rua da América Latina foi, mais uma vez, um sucesso. Foram 30 mil corredores de 40 países, que festejaram o enceramento da temporada esportiva nacional. Nem mesmo o tempo nublado, com momentos de chuva leve, tiraram o ânimo dos alegres corredores. Já o público pôde ver de perto algumas das principais  feras do circuito internacional e um amplo domínio estrangeiro. No masculino, os dez melhores foram do exterior, e no feminino, apenas Joziane acabou como top ten.
 
Depois da largada, os corredores de outras nações mostraram que, nesta edição, não dariam chance aos brasileiros. Já no quilômetro 4, ficou claro que a definição do campeão não teria nenhum atleta nacional. Entre os homens, Dawitt deixou para atacar no final e conseguiu sucesso, garantindo o bicampeonato – sua primeira conquista foi em 2014. 
 
“Treinei muito para esta prova e estou feliz por vencer de novo a São Silvestre. Agradeço ao público, meu manager e a todos que me apoiaram para estar aqui e garantir o topo do pódio. Farei tudo para voltar a São Paulo no ano que vem e poder brigar por mais uma conquista no Brasil”,  declarou Admasu.
 
O brasileiro Éderson  reconheceu que fez uma prova mais conservadora, mas ficou feliz com o resultado. “Ser o melhor brasileiro na prova neste ano foi um algo a mais. A gente sabe que é difícil competir com eles. A corrida começou forte e, como venho de uma temporada dura,  não consegui acompanhar o ritmo. No final das contas, porém, acabou sendo muito favorável”, destacou.
 
No feminino, Flomena, vice no ano passado, voltou em 2017 para vencer e não fez feio. “Agradeço a organização. Foi uma competição muito boa e estou feliz por voltar e vencer. Foi uma prova complicada, por causa da chuva e das subidas. No ano passado errei na estratégia e acabei em segundo, mas neste ano deu tudo certo”, disse.
Joziane Cardozo voltou a ser a melhor atleta nacional na São Silvestre, desta vez chegando em décimo, e destacou a força das adversárias. “As estrangeiras são muito fortes, sem dúvida. Mas precisamos chegar aqui tendo a prova como foco e não mais uma competição em um ano cheio. Se fizermos um trabalho forte poderemos quebrar a hegemonia. Foi muito bom para mim ser a melhor atleta nacional mais uma vez”, declarou.
 
Resultados de 2017
 
Elite
 
Masculino
1) Dawitt Admasu (Etiópia), 44min15seg
2) Belay  Bezabh (Etiópia), 44min43seg
3) Edwin Kipsang (Quênia), 44min43seg
4) Birhanu Balew (Bahrain), 45min06seg
5) Paulo Lonyangata (Quênia), 45min28seg
12) Ederson Vilela Pereira (Brasil), 46min58seg
 
Feminino
1) Flomena Daniel (Quênia), 50min18seg
2) Sintayehu Hailemicheal (Etiópia), 50min55seg
3) Birhane Dibaba (Etiópia), 50min57seg
4) Ymer Wude (Etiópia), 51min35seg
4) Paskalia Chepkorir (Quênia), 51min55seg
10) Joziane Cardoso (Brasil), 54min07seg
 
Cadeirantes
 
Masculino
1) Leonardo de Melo, 45min06seg
2) Carlos de Jesus, 50min40seg
3) Heitor dos Santos, 56min17seg
 
Feminino
1) Vanessa de Souza, 49min49seg
2) Aline Rocha, 50min42seg
 
 
Veja Também: 

 

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook