Serviços

Corpo deve ser preparado antes de ser submetido a exercícios físicos

Quem faz o alerta é o educador físico Alex Azevedo, personal trainer do piloto Felipe Massa / Foto: DivulgaçãoQuem faz o alerta é o educador físico Alex Azevedo, personal trainer do piloto Felipe Massa / Foto: Divulgação

Em busca do corpo ideal, cada vez mais pessoas ingressam nas academias de ginástica e de musculação. São jovens e adultos, homens e mulheres que em comum não apenas têm o desejo pelas curvas e músculos, como também a pressa em alcançá-los.
 
Nessa corrida para transformar o desejo em realidade, porém, a maioria das pessoas acaba pulando uma etapa essencial, que é a preparação do corpo antes de submetê-lo a uma atividade que irá transformá-lo. Quem faz o alerta é o educador físico Alex Azevedo, que atua como personal trainer do piloto Felipe Massa.
 
“Ao longo dos anos, o corpo humano sofre desajustes e desequilíbrios estruturais desencadeados por fatores externos, como a postura errada adotada em ações rotineiras durante a vida, como deitar, sentar e se mover. Como uma máquina, o corpo precisa de preparação para receber um estímulo, uma espécie de revisão corporal de maneira global e técnica, para aí, então, ser colocado diante de qualquer atividade, modalidade ou estímulo físico”, explica Azevedo.
 
Na visão do preparador físico, essa preparação deveria acontecer na própria academia. “Mas, infelizmente, não é o que acontece. A maioria segue planejamentos de treinos padronizados, que não consideram um dos princípios básicos do treinamento que é, justamente, a individualidade biológica”.
 
Para solucionar essa questão, Alex Azevedo indica que iniciantes em qualquer modalidade de atividade física - e até mesmo pessoas que já praticam exercícios físicos sistematicamente – passem por um olhar técnico de um profissional capacitado e que tenha olhos clínicos condicionados para poder identificar possíveis desequilíbrios estruturais e articulares no corpo e, a partir desse princípio, poder traçar um planejamento de treino seguro e eficiente.
 
“Nosso corpo ‘infelizmente’ é inteligente e com grande poder de adaptação. Por isso, muitas vezes não acusa dores em curto e médio prazos de um estímulo dado de maneira errada. Essas dores podem vir somente depois de muito tempo, o que dificulta ao praticante identificar os motivos que causaram tal fato”, explica Azevedo.
 
O profissional ressalta: além de favorecer esteticamente, podendo até mesmo acelerar a conquista do que se deseja, a preparação do corpo reduz drasticamente os riscos de lesões, dores articulares e musculares, reclamações muito recorrentes entre frequentadores das academias.
 
“Exercício é bom, faz muito bem pra saúde e isso é fato provado pela ciência através de inúmeros estudos e artigos. Mas, devemos ficar atentos para que os progressos aconteçam no tempo, na intensidade e na medida correta, sempre de forma segura e eficiente”, conclui Azevedo.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook