A saga do primeiro brasileiro a pedalar 12 mil km pela África

O livro do jornalista Alexandre Costa Nascimento desperta acima de tudo admiração / Foto: DivulgaçãoO livro do jornalista Alexandre Costa Nascimento desperta acima de tudo admiração / Foto: Divulgação

São Paulo - “O livro do jornalista Alexandre Costa Nascimento desperta acima de tudo admiração.Mais que um Leão por Dia dá testemunho de um enorme esforço de superação pessoal para a realização de um ideal, que deveria animar a todo ser humano: promover o entendimento entre os povos e a Paz entre as Nações. 

E o faz por meio da exaltação de um esporte que contribui não só para a saúde de quem o pratica, mas para a própria saúde do planeta que vivemos. Esse esporte, de baixíssimo ou nenhum consumo de energia, é o ciclismo. Mais que isso, a aventura corajosa de Alexandre nos leva a conhecer um continente ainda vítima de noções preconcebidas e injustas.

Atravessando a África de norte a sul, por mais de dez países, no famoso “Tour d’Afrique”, o autor nos dá conta da diversidade cultural e da riqueza africanas, sem esconder os problemas que o continente ainda enfrenta. O panorama natural e humano que emerge do livro nos remete a um mundo de contrastes, mas também de impressionante beleza. É uma obra que merece ser apreciada por todos os que sonham com uma humanidade capaz de conviver com as diferenças sem desconhecer os desafios do desenvolvimento.

O livro e as ações nele escritas, inclusive o comportamento dos participantes, faz jus ao mais vivo aplauso.”

Alexandre abriu mão do emprego, enfrentou os próprios medos e encarou uma viagem desafiadora, atravessou o continente africano, explorando o desconhecido. Sobre sua bicicleta Totem, ao lado de outros 50 ciclistas, ele passou por 11 países, partindo do Egito até chegar à África do Sul. Após 121 dias e quase 12 mil quilômetros pedalados, o relato desta fascinante expedição chega às livrarias, pela editora Nossa Cultura.

O escritor e jornalista curitibano, autor do blog Ir e Vir de Bike, acredita no uso da bicicleta como ferramenta para construção de cidades mais humanas. Desde 2013, é coordenador no Brasil do Bicis por la Vida, movimento internacional que promove ações simultaneamente em mais de 300 cidades, em 50 países, nos 5 continentes durante o Dia Mundial sem Carro.

Narrado em primeira pessoa, Mais que um Leão por Dia é um livro-reportagem escrito em 15 capítulos. Com uma linguagem simples e texto rico em detalhes, Alexandre explica todos os preparativos burocráticos da viagem, desde a arrecadação do dinheiro e organização da documentação, até a escolha da bicicleta e preparo da “farmacinha”.

“Malária, tétano, febre amarela, hepatite. Dengue hemorrágica, aids, ebola, febre do Vale Rift. Diarreia, febre tifoide, esquistossomose, meningite. Raiva, lepra, leptospirose, afro-tripanossomíase. Após ler a lista de doenças de risco para quem se dispõe a atravessar dez países da África, a música Pulso, dos Titãs, acaba se tornando uma mera canção de ninar até mesmo para o mais fervoroso dos hipocondríacos.”

Além dos riscos previsíveis e outros inesperados, Alexandre conta que não era fácil ser o único brasileiro do grupo. O inglês funcional não o permitia acompanhar os diálogos informais dos participantes. Isolou-se por algum tempo, passando maior parte da primeira viagem com sua câmera fotográfica e computador. Mas às vésperas de deixar o Egito rumo ao Sudão, Alexandre aproveita a chance que teve de se aproximar:

“Quando termino de descascar a cana, todos provam e aprovam o gosto do doce vegetal cultivado à beira do Nilo. Tento explicar o significado da expressão brasileira “chupar cana e assobiar”. Freek se arrisca a fazê-lo, obviamente, sem sucesso. Quando todos riem, sinto um alívio e uma grande satisfação, como se eu, de fato, tivesse acabado de conseguir a façanha de fazer as duas coisas ao mesmo tempo.”      

A leitura é agradável, com uma dose generosa de bom-humor. As situações cômicas e constrangedoras em um deserto sem banheiros ou privacidade, a sensação de liberdade em pedalar sem roupa na Namíbia e a esperteza dos vendedores árabes... Alexandre não deixa passar nada!

Alexandre transformou em livro a maturidade adquirida no continente africano para que todos pudessem também experimentá-la. Mais que um Leão por Dia não é um livro apenas para quem gosta de viagens ou se interessa pela África. Essa obra é para todos que desejam sair da zona de conforto e aprender um pouco mais com o mundo.

No fim do livro há um álbum de fotografias registradas pelo autor e por outros ciclistas durante a expedição. No início de cada capítulo há também um QR Code para que os leitores sejam direcionados ao site da Nossa Cultura, onde terão acesso ao álbum completo de fotos e trilha sonora especial.

Maior expedição anual do mundo e atrai ciclistas de todos os continentes pelo desafio de percorrer os 12 mil quilômetros que separam o Cairo, no Egito, da Cidade do Cabo, na África do Sul. A Fundação atua doando bicicletas para ONGs e instituições de caridades de países africanos atravessados pelo Tour.

A orelha do livro foi escrita pelo Fábio Zanini, editor de Mundo da Folha de S. Paulo e aficionado pelo continente africano. A quarta capa é de autoria do Celso Amorim, diplomata brasileiro e ex-ministro de Relações Exteriores e da Defesa. Adquirindo o livro, as pessoas também estarão ajudando a TDA Foundation, que organiza a expedição Tour d’Afrique, a comprar e distribuir bicicletas à população africana.

 

Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook