Brasileiras completam as descidas no bobsled e desabafam: "Nos respeitem"

Dupla brasileira em sua última descida em Sochi / Foto: Reprodução / SporTVDupla brasileira em sua última descida em Sochi / Foto: Reprodução / SporTV

Rio de Janeiro - Sally e Fabiana também fizeram história para o Brasil em Jogos Olímpicos nesta quarta-feira. A dupla brasileira colocou o país no mapa do bobsled feminino ao completar as quatro descidas sem grandes falhas. 

O Brasil terminou em último no ranking, com o tempo de 4:01.95, ou 11.34 segundos atrás das primeiras colocadas.

A primeira descida desta quarta - a terceira, no total - não foi limpa. "Essa pista é uma pista com muita atenção. Não é uma pista fácil, mas em momento nenhum a gente teve risco de virar ou de tombar", garantiu Fabiana, em entrevista ao SporTV. 

"Acho que já é uma grande vitória pra gente estar aqui. Queríamos descer as quatro descidas, e a gente conseguiu. É gratificante estar numa Olimpíada em menos de um ano de trabalho. Agradeço à Fabiana também e ao Brasil", comentou Sally, que está envolvida com o esporte há bem menos tempo que sua companheira de trenó. 
 
Mesmo assim, Fabiana não se considera uma veterana por assim dizer. Ela explica: "Não me considero uma atleta experiente porque eu nunca tive a estrutura que eu estou tendo agora. Considero que comecei junto com este grupo que está aqui. Hoje temos um técnico, um grupo que trabalha para que a gente possa ter a estrutura que tem. Sou uma atleta tão nova quanto ela então a gente cresceu e evoluiu junto", afirmou. 
 
"Nosso grupo trabalha muito. O grande segredo da nossa evolução foi a união. Agora a gente terminou nosso trabalho e o grupo está todo focado para ajudar os meninos", afirmou Fabiana, em referência ao quarteto masculino do bobsled que compete nos próximos dias. 
 
Ao fim, Sally deixou um abraço e um agradecimento aos brasileiros que torceram pela dupla em Sochi.
 
Fabiana, por sua vez, foi bastante franca ao se referir a pessoas que, segundo ela, torcem o nariz para o esporte de inverno no Brasil. "Peço um pouco de respeito para alguns torcedores aí que, infelizmente, acabam fazendo comentários desnecessários. Eu respeito a opinião de todos mas peço também que respeitem o nosso trabalho. Estamos aqui, de coração, defendendo a nossa bandeira e não gostaríamos de sermos desrespeitadas", contou Fabiana.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook