Começa o Mundial de Xangai

O Centro Esportivo Oriental Sports Center é uma das maiores arenas de esportes aquáticos do mundo. A arena, para onde os olhos do mundo esportivo estarão voltados nos próximos dias, tem capacidade pra doze mil pessoas / Foto: Esporte Alternativo O Centro Esportivo Oriental Sports Center é uma das maiores arenas de esportes aquáticos do mundo. A arena, para onde os olhos do mundo esportivo estarão voltados nos próximos dias, tem capacidade pra doze mil pessoas / Foto: Esporte Alternativo Xangai - Xangai é a maior metrópole da China. É também a força econômica que impulsiona o crescimento da potência asiática. Sede do Mundial de Esportes Aquáticos, a cidade investiu pesado para construir o Centro Esportivo Oriental Sports Center, onde, a partir desse sábado, dia 16 de Julho, atletas de todas as partes do mundo entrarão na água em busca da tão sonhada medalha de ouro. O Esporte Alternativo está na China e vai acompanhar de perto a competição.

 Depois das Olimpíadas, o Mundial de Xangai é a competição mais importante da natação. O Centro Esportivo Oriental Sports Center é uma das maiores arenas de esportes aquáticos do mundo. A arena, para onde os olhos do mundo esportivo estarão voltados nos próximos dias, tem capacidade pra doze mil pessoas. Na piscina, que tem tecnologia de ponta, serão disputadas as competições de nado sincronizado e natação. Contudo, uma das maiores estrelas presentes na China, e a grande esperança de medalha brasileira, pode nem entrar na água.

Cesar Cielo chega em Xangai na próxima segunda-feira, dia 18 de Julho e na quarta, vai ser julgado pela Corte Arbitral do Esporte. O nadador foi flagrado em exame anti-doping realizado no Troféu Maria Lenk, disputado no Rio de Janeiro. Os exames apontaram que o campeão olímpico brasileiro havia feito o uso proibído da furosemida, um durético que esconde outras substâncias dopantes.

Cielo alegou inocência e culpou o laboratório que manipula os suplementos que ele toma antes e depois dos treinos. Depois de ser "absolvido" pela Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos e ter o passaporte carimbado para Xangai, agora terá que se defender para poder competir no mundial. O brasileiro, contratou um dos maiores advogados do mundo, especialista em doping, para tentar se livrar da pena. A missão de Howard Jacobs, no entanto, não será fácil. Nos últimos três anos, a FINA, a Federação Internacional de Natação, registrou 4 casos de doping por furosemida. Todos os atletas foram condenados, inclusive a brasileira Daynara de Paula, que ano passado, alegou a mesma coisa que Cielo. A brasileira foi suspensa por seis meses das competições nacionais e internacionais. Se realmente for suspenso, Cielo nem entrará na água e terá que se concentrar para os Jogos Olímpicos de Londres, só em 2012. 

Primeiro dia - A dupla chinesa formada Wu Minxia e He Zi conquistou neste sábado a primeira medalha de ouro no Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai. As anfitriãs subiram no lugar mais alto do pódio no trampolim de 3 metros sincronizado. A primeira prova da competição não teve a participação das brasileiras.

As chinesas venceram a disputa ao somar 356,40 pontos na série final de cinco saltos. As canadenses Emilie Heymans e Jennifer Abel levaram a prata, com 313,50, enquanto as australianas Anabelle Smith e Sharleen Stratton ficaram com o bronze, com 306,90 pontos. As três duplas medalhistas garantiram automaticamente a vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Wu Minxia, nova estrela dos saltos ornamentais da China, faturou sua quinta medalha de ouro nesta prova em Mundiais, igualando a marca da compatriota Guo Jingjing, sua ex-parceira, aposentada em janeiro. Minxia faturou suas quatro medalhas anteriores ao lado da ex-companheira. A China faturou sete das oito medalhas de ouro em disputa na Olimpíada de Pequim, em 2008

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook