Brasil permite virada e perde para o Japão

Foi um pecado. A seleção brasileira masculina de polo aquático jogou bem e chegou a estar com três gols de vantagem, mas no final perdeu para o Japão por 13 a 11 / Foto: Esporte AlternativoFoi um pecado. A seleção brasileira masculina de polo aquático jogou bem e chegou a estar com três gols de vantagem, mas no final perdeu para o Japão por 13 a 11 / Foto: Esporte AlternativoXangai - Foi um pecado. A seleção brasileira masculina de polo aquático jogou bem e chegou a estar com três gols de vantagem, mas no final perdeu para o Japão por 13 a 11 (BRA 4 x 2 JAP / 2 x 4 / 1 x 3 / 4 x 4), nesta 4ª feira, 20/7, pela 2ª rodada do Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai. O último jogo da fase de classificação é contra o Canadá, rival tradicional com quem os brasileiros duelam em Jogos Pan-Americanos. A partida é na 6ª feira, 22/7, às 9h (22h da 5ª feira, dia 21/7, no Brasil).

Com a vitória da Croácia sobre o Canadá por 11 a 4, a classificação do grupo C ficou assim: 1) Croácia, 4 pontos; 2) Canadá, 2 (saldo negativo de 1) ; 3) Japão, 2 (saldo negativo de 4); 4) Brasil, 0.

A equipe brasileira começou o jogo muito bem e deu esperanças de triunfo, pois saiu na frente com dois gols de seu capitão Felipe (em homem a mais e da linha dos cinco metros) e colocou dois gols de vantagem em mais duas oportunidades (no 3 a 1, com Danilo, e no 4 a 2, com João Felipe).

E melhor ficou no início do segundo quarto quando fez o quinto gol com Grummy da linha dos cinco metros e abriu 5 a 2 no marcador, aos 7’26”. Mas o Japão manteve sua tradição de não desistir nunca e iniciou sua reação. Jogando bem chegou ao empate no meio do quarto, aos 3’56”. O Brasil voltou a liderar o placar com um gol de João Felipe, mas antes do intervalo maior da partida, os japoneses voltaram a  igualar.

No terceiro período, Rudá, aos 7’25”, colocou o Brasil na frente novamente e esta foi a última vez que lideramos o placar, pois 20 segundos depois, o Japão empatou e mais tarde, aos 4’10” para o fim do quarto, passou à frente pela primeira vez. E antes do último intervalo, os japoneses abriram dois gols: 9 a 7.

No quarto final, o Brasil perdeu dois de seus principais jogadores com três faltas pessoais graves: Grummy e o capitão Felipe. E faltou um pouco de experiência, talvez pela necessidade de mais intercâmbio para conquistar a vitória ou ao menos assegurar um empate.

O Brasil ainda encostou no marcador com seu oitavo gol, de Rudá, mas o adversário sempre não se desesperava e abria no placar novamente: 11 a 8. Os brasileiros ainda esboçaram uma reação, diminuindo para um gol de diferença: 10 a 11, com gols de Felipe em homem a mais, e Marcelo. O Japão se distanciou no placar novamente, com três gols de diferença, não sem antes ver seu goleiro fazer grande defesa com a cabeça aos 1’33” para o fim. Rudá deu números definitivos em mais um lance de homem a mais aos 41 segundos.

"Sabia que seria um jogo difícil. Estávamos preparados, focados e com bom preparo físico. Mas eles jogaram bem e não cometeram os mesmos erros que tiveram contra o Canadá. Melhoramos em relação ao jogo contra o Canadá. Nos faltou mais jogos internacionais, mas é do jogo. Vimos alguns vídeos, mas nunca tínhamos visto e esta falta de contato faz falta, embora o Goran (técnico brasileiro) tenha sido técnico deles. Mas ainda tem jogos pela frente e vamos em busca de vitórias", disse Felipe Silva, capitão brasileiro e artilheiro do time no jogo de hoje (qua), ao lado de Rudá, com três gols 

Sequencia de gols:

1º quarto = Brasil 1 x 0 (#8 Felipe – homem a mais – 6’44”) / Brasil 2 x 0 (#8 Felipe – linha dos 5 metros – 5’36”) / Japão 1 x 2 (# 10 Shiota - 3’28”) / Brasil 3 x 1 (#12 Danilo – chute pelo centro - 3’11”) / Japão 2 x 3 (#10 Shiota – 1’21”) / Brasil 4 x 2 (#11 João – 56”)

2º quarto = Brasil 5 x 2 (# 6 Grummy – linha dos 5 metros - 7’26”) / Japão 3 x 5 (#7 Shimizu – 6’15”) / Japão 4 x 5 (#3 Takei – 5’15”) / Japão 5 x 5 (#5 Shiga – 3’56”) / Brasil 6 x 5 (#11 João – 3’39”) / Japão 6 x 6 (#8 Naganuma – homem a mais - 1’07”)

3º quarto = Brasil 7 x 6 (# 10 Rudá – 7’25”) / Japão 7 x 7 (#6 Yanase – homem a mais -  7’05”) / Japão 8 x 7 (#3 Takei – linha dos 5 metros – 4’10”) / Japão 9 x 7 (#7 Shimizu – homem a mais - 1’32”)

4º quarto = Brasil 8 x 9 (#10 Rudá – 7’12”) / Japão 10 x 8 (#7 Shimizu – 6’39”) / Japão 11 x 8 (#11 Okawa – homem a mais - 4’38”) / Brasil 9 x 11 (#8 Felipe – homem a mais - 4’01”) / Brasil 10 x 11 (#5 Marcelo – 3’19”) / Japão 12 x 10 (#3 Takei – chute pelo centro - 1’48”) / Japão 13 x 10 (#7 Shimizu – chute pelo centro - 1’01”) / Brasil 11 x 13 (# 10 Rudá – homem a mais - 41”)

Brasil = 1 – Marcelo Chagas / 2 – Emílio Vieira / 3 – Henrique Moniz / 4 – Bernardo Gomes / 5 – Marcelo Franco (1) / 6 – Gustavo Guimarães (Grummy) (1) / 7 – Jonas Crivella / 8 – Felipe Silva - capitão (3) / 9 – Bernardo Reis / 10 – Rudá Franco  (3) / 11 – João Coelho (2) / 12 – Danilo Correa (1) / 13 – Vinícius Antonelli. Técnico: Goran Sablic / Auxiliar-técnico: Bárbaro Diaz.

Japão = 1 – Katsuyuki Tanamura /  2 – Kan Aoyagi - capitão  / 3 – Kogi Takei  (3) / 4 – Shota Hazui  / 5 – Mitsuaki Shiga (1) / 6 – Akira Yanase (1) /  7 – Yusuke Shimizu (4) / 8 – Atsushi Naganuma  (1) / 9 – Hiroki Wakamatsu / 10 – Yoshinori Shiota (2)  / 11 – Keigo Okawa (1) /  12 – Satoshi Nagata  / 13 – Naoki Shimizu. Técnico: Hideki Takagi

Árbitros = Mario Brgulian (Montenegro) & Shi Wei Ni (China)

Outros resultados:

Grupo A 

Espanha x Montenegro

Hungria x Cazaquistão 

Grupo B 

Sérvia 12 x 5 Romênia 

Austrália x China

Grupo C 

Brasil  x  Japão

Canadá 4 x 11 Croácia

Grupo D

África do Sul 8 x 16 Alemanha

EUA 5 x 8 Itália

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook