Scheidt busca classificação para fase decisiva da SSL Finals nesta sexta (8)

Ao lado do proeiro Henry Boenning, o Maguila, bicampeão olímpico enfrentou dificuldades diante da queda da velocidade do vento em Nassau, mas segue entre os favoritos ao pódio da competição / Foto: Carlo Borlenghi/SSLAo lado do proeiro Henry Boenning, o Maguila, bicampeão olímpico enfrentou dificuldades diante da queda da velocidade do vento em Nassau, mas segue entre os favoritos ao pódio da competição / Foto: Carlo Borlenghi/SSL

Bahamas - Em dia de vento fraco, Robert Scheidt e Henry Boenning não conseguiram repetir as atuações regulares que marcaram sua apresentação até agora na SSL Finals 2017.
 
Com um 2º e um 19º lugares nas duas regatas disputadas nesta quinta-feira (7), em Nassau, nas Bahamas, deixaram a liderança e agora estão em segundo lugar geral. Nesta sexta-feira (8), a dupla brasileira volta ao mar para as últimas três provas da fase de classificação da Star Sailors League entre os favoritos a uma das dez vagas na etapa final, sábado (9).
 
Para ratificar os prognósticos e encerrar a primeira fase entre os dez primeiros colocados, Robert espera que o tempo colabore. “A intensidade do vento diminuiu e o barco não está com velocidade no vento fraco. Esperamos vento mais forte nesta sexta para melhorarmos. O campeonato ficou mais embolado, perdemos a liderança, mas nossa pontuação é boa. Os americanos estão com todas as condições de garantir a liderança, mas o importante é passar entre os dez primeiros”, afirmou o bicampeão olímpico, de referindo-se à dupla Mark Mendelblatt/Brian Fatih, líder da disputa com 23 pontos perdidos. Scheidt/Boenning somam 31 em oito regatas, considerando o descarte do pior resultado.
 
Após dois dias de atuações consistentes e regulares, Scheidt e seu proeiro enfrentaram problemas, como relata o velejador. “Na primeira regata, fizemos um péssimo primeiro contravento, mas depois recuperamos. Velejamos muito bem para sairmos do 15º e chegarmos em segundo lugar. Era para repetirmos o resultado na segunda regata, mas batemos na boia no segundo contravento e fomos penalizados. Tentamos passar entre o francês e a boia, mas não havia espaço, arriscamos demais. Ficou o aprendizado", explica o atleta de 44 anos, que tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.
 
Histórico na SSL Finals - Campeão no ano de estreia da SSL Finals, em 2013, Scheidt disputa a primeira competição internacional após anunciar o encerramento do ciclo visando os Jogos de Tóquio, em 2020, na classe 49er. Ao lado de Henry Boenning, ganhou a medalha de bronze da competição no ano passado. Do total de quatro edições disputadas até agora, o bicampeão olímpico participou de três. Além do título em 2013, conquistado ao lado de Bruno Prada, e o bronze no ano passado com Maguila, Robert foi quinto colocado em 2014, também com Prada.
 
Além de Scheidt e Boenning, o Brasil conta com mais seis velejadores na SSL Finals. Além das duplas Torben Grael/Guilherme Almeida e Lars Grael/Samuel Gonçalves, os proeiros Bruno Prada (velejando com o suíço Freddy Loof) e Arthur Lopes (formando dupla com o alemão Hubert Merkelbach) completam a lista.
 
Robert Scheidt tem duas medalhas de ouro olímpicas (Atlanta/96 e Atenas/2004)e uma prata (Sidney/2000) na classe Laser, mais uma prata e um bronze na Star (Pequim/2008 e Londres/2012). Ao todo, são 11 títulos mundiais na Laser e três na Star. Na Rio/2106, terminou na quarta colocação. Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook