Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina começa nessa quinta-feira

Aproximadamente 250 velejadores são esperados em Jurerê para os quatro dias da maior competição de vela oceânica do sul do Brasil / Foto: Gabriel Heusi/Heusi ActionAproximadamente 250 velejadores são esperados em Jurerê para os quatro dias da maior competição de vela oceânica do sul do Brasil / Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action

Santa Catarina – A partir dessa quinta-feira, dia 1 de fevereiro, a Sede Oceânica do Iate Clube de Santa Catarina, em Jurerê, recebe pela 29ª vez os melhores velejadores do país para a realização de mais uma edição do Circuito Oceânico, principal competição de vela oceânica do sul do Brasil. Aproximadamente 250 tripulantes de 35 embarcações são aguardados na raia até o próximo domingo, quando serão conhecidos os campeões das classes ORC, C30, IRC, RGS, RGS Cruzeiro, HPE-25, Bico de Proa e Multicascos.
 
Com algumas alterações para a edição desse ano, o 29º Circuito Oceânico promete ser um dos mais competitivos da história. Como explicou o Presidente da Comissão de Regatas, Ricardo Navarro, em 2018 serão duas raias que possibilitarão regatas específicas de acordo com o perfil de cada classe. As classes Cruzeiro, Bico de Proa e Multicascos terão quatro dias com regatas de percurso enquanto nas demais serão realizadas uma regata longa e cinco barla-sota, ou uma média no lugar de uma barla-sota, dependendo das condições.
 
"Todas essas mudanças visam deixar a competição ainda mais atraente para as tripulações, pois cada classe terá regatas de acordo com o seu perfil. Com isso a disputa será ainda maior elevando o nível técnico da competição. Importante lembrar que tais mudanças também atraem um número maior de velejadores para a raia como pode ser visto na edição desse ano", frisa Ricardo Navarro.
 
Comandante do Itajaí Sailing Team, Marcelo Gusmão aprovou as mudanças e se mostrou bastante ansioso para o início de mais um Circuito Oceânico. "A ideia da organização foi excelente trazendo mais barcos para a competição. Com certeza foi uma alteração muito bem-vinda", comenta.
 
Uma das favoritas na classe IRC, a equipe catarinense espera fazer um bom papel após os ótimos resultados conquistados no ano de 2017. "Começo de ano sempre gera uma expectativa. Sabemos das dificuldades que teremos pela frente, pois os adversários são muito fortes, mas a gente sempre entra nas competições para disputar o título", avalia Gusmão.
 
Com quatro dias de programação a expectativa é de que a competição inicie a com a disputa de uma regata longa, assim como ocorreu nas últimas edições. No entanto as tripulações só terão certeza na manhã dessa quinta, quando a comissão faz a avaliação das condições para definir se as disputas serão de percurso ou barla-sota.
 
Meta superada e novidades nas atrações paralelas marcam o 29º Circuito Oceânico - As mudanças no formato da competição atraíram um número maior de embarcações para a edição de 2018 do Circuito Oceânico, mas outros fatores ajudaram a elevar o número de velejadores na raia. "Acredito que o Circuito Oceânico desse ano tenha dois pilares fundamentais para esse crescimento. A primeira delas, com certeza, é a mudança no formato da competição, com duas raias. A segunda é a parte social do evento. Preparamos muitas atividades paralelas com shows, confraternização e opções de festa e lazer para os participantes", comenta Lucas Reis, gerente de eventos do Iate Clube de Santa Catarina.
 
A meta para a edição desse ano era de trinta barcos, superando os 28 participantes em 2017. "Conseguimos superar o quantitativo de embarcações para esse ano. Serão perto de trinta e cinco equipes e 250 velejadores na raia, o que representa um aumento de 20% com relação à última edição", finaliza Lucas Reis.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook