Guillaume Verdier vai desenhar o novo barco One Design da Volvo Ocean Race

O francês Guillaume Verdier vai liderar a equipa de arquitetura para a 14ª edição , ficando a liderar o projeto de construção a Persico Marine / Foto: Amalia Infante/Volvo Ocean RaceO francês Guillaume Verdier vai liderar a equipa de arquitetura para a 14ª edição , ficando a liderar o projeto de construção a Persico Marine / Foto: Amalia Infante/Volvo Ocean Race

Itália - Enquanto decorrem os últimos preparativos e continuam os anúncios de equipas para a Volvo Ocean Race 2017-18, a direção da prova trabalha em paralelo no desenho das futuras edições. A edição posterior a esta, a 14ª, terá novos barcos One Design concebidos pelo francês Guillaume Verdier e serão construídos pelo estaleiro Persico, em Itália, anunciou hoje a direção da prova.
 
Verdier juntou-se ao Volvo Ocean Race Design Team e está neste momento a trabalhar com a direção da regata, na decisão crucial de decidir se os novos barcos serão monocascos ou multicascos. A decisão final, já com os novos projetos será anunciada a 18 de maio num evento em Gotemburgo, a “casa” da Volvo os proprietários da competição e patrocinadores principais da mesma.
 
Guillaume Verdier é uma pessoa discreta que faz acontecer, e tem estado envolvido nos principais projetos desta modalidade durante últimos anos - desde os multicascos gigantes como o Gitana Maxi Edmond de Rothschild, lançado em julho, ao barco-voador do Team New Zealand participante nesta edição da America’s Cup, a maxis monocascos como o Comanche, e barcos IMOCA 60 com foils de primeira linha na Vendée Globe, tais como o Hugo Boss e o Banque Populaire VIII. 
 
A questão monocasco-multicasco é uma das decisões chave que será tomada nas próximas semanas, e apresentada a 18 de maio em Gotemburgo, na Suécia. Todas as novidades que vão ser anunciadas, fazem parte da mais radical mudança de conceito na Volvo Ocean Race, desde a sua criação em 1973 como Whitbread Round the World Race.
 
“Nascidos em 2011, a atual frota de barcos foi construída para ser competitiva durante duas edições” disse Mark Turner CEO da Volvo Ocean Race. “Nós precisamos de avançar agora com os futuros barcos, para mantermos em aberto todas as opções conceito.”
 
“Estamos muito entusiasmados, com o facto de alguém com o talento do Guillaume Verdier se juntar a nós - e que será o complemento certo à vasta equipa Volvo Ocean Race Design Team, e também para todos os inputs que esperamos receber de velejadores profissionais e parceiros desta industria.”
 
Na decisão de designar a Persico para liderar o processo de construir os barcos, em vez do consórcio usado para os Volvo Ocean 65s, Nick Bice, Chief Technical Development Officer, da prova disse: “ O Consórcio fez um bom trabalho para construir os barcos, mas desta vez preferimos ter apenas um construtor, este sem dúvida irá sub-contratar um grande número de construtores por todo o mundo, para poder a tempo e dentro do orçamento entregar os barcos. A Persico tem sido um sólido parceiro ao longo dos últimos anos, e estamos muito contentes por ir trabalhar com eles novamente.”
 
A decisão de continuar com o conceito de One Design, vem na sequência do que sucedeu com os monocascos VO 65 da Volvo Ocean Race 2014-15, e que produziu a mais disputada edição de toda a sua história.
 
A próxima edição que começa a 22 de outubro de 2017, em Alicante, vai usar os mesmos Volvo Ocean 65, estes passaram por uma manutenção e melhoramentos avaliados em 1 milhão de euros por barco, no Boatyard em Lisboa. Estes barcos foram concebidos para serem ao mesmo tempo rápidos e resistentes, e com isto darem duas voltas ao planeta ao mais alto nível de competição profissional, num formato ultra-competitivo e em absolutas condições de igualdade.
 
À frota dos sete barcos que disputaram a edição de 2014-15, vai-se juntar mais um Volvo Ocean 65 exatamente igual, para a equipa Team AkzoNobel participante na edição de 2017-18.
 
Quando ainda faltam mais de seis meses para a largada, quatro equipas já foram anunciadas. As restantes equipas serão conhecidas nos próximos meses. 
 
A organização optou pelo Guillaume Verdier, depois de receber sugestões de meia dúzia de gabinetes de arquitectura naval, incluindo o Farr Yacht Design, quem com muito sucesso começou a era dos One Design e concebeu os Volvo Ocean 65.
 
O desafio do Guilaume Verdier é liderar o Volvo Ocean Race Design Team, para construir uma frota com os mesmos níveis de exigência conseguida com os correntes One Design, mas muito ligado à grande evolução da vela com a tecnologia dos foils, que hoje em dia se vê um pouco por todo o mundo náutico. 
 
“Nós em conjunto, temos um enorme leque de conhecimentos adquiridos em eventos como a America’s Cup, vela oceânica em multicascos e nos projetos dos IMOCA 60,” explicou Verdier.
 
“Começamos com uma folha em branco, e qualquer que seja o barco que projetemos, seja mono ou multicasco, vamos aprender muito com este projeto trabalhando em conjunto,”
 
E continuou: “Eu penso que os velejadores querem divertir-se, e estão atraídos pelas novas formas de velejar. Nos Open 60, por exemplo, fizemos algo de muito radical mas ao mesmo tempo muito seguro, e isto é um dos fatores chave da Volvo Ocean Race.” 
 
Marcello Persico, disse que na sua empresa estão muito felizes por irem construir a nova geração de barcos da Volvo Ocean Race. 
 
“Temos trabalhado de uma forma muito próxima com a Volvo Ocean Race nos últimos oito anos, e sentimo-nos parte da família,” disse. “ Eu acredito que a Persico Marine vai fornecer um grande apoio e serviço à Volvo Ocean Race, e com eles vamos embarcar nos próximos capítulos da sua história.”
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook