Velejador da Scallywag cai no mar e está desaparecido na etapa da Volvo

Sétima etapa da Volvo Ocean Race tem neve e ondas gigantes nos mares do sul / Foto: Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean RaceSétima etapa da Volvo Ocean Race tem neve e ondas gigantes nos mares do sul / Foto: Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race

Nova Zelândia - O Race Control da Volvo Ocean Race foi informado, na tarde desta segunda-feira, dia 26, pela tripulação do Sun Hung Kai / Scallywag de um incidente com um tripulante da equipe que caiu no mar. O fato ocorreu às 13:42 UTC.
 
A equipe, juntamente com o Centro de Coordenação de Resgate Marítimo (MRCC), estão realizando uma operação de busca e resgate para recuperar o tripulante desaparecido, John Fisher (Reino Unido). O velejador usava equipamento de sobrevivência quando foi ao mar. O restante da tripulação está em segurança.
 
O incidente ocorreu aproximadamente a 1.400 milhas a oeste do Cabo Horn.
 
O vento na área de busca é de forte intensidade, 35 nós, e o mar está pesado. A temperatura da água é de 9 graus Celsius. Há luz do dia, mas as condições meteorológicas devem se deteriorar nas próximas horas.
 
Dadas as condições da força de vendaval, não é uma opção desviar qualquer um dos outros seis concorrentes da Volvo Ocean Race, que estão a pelo menos 320 km mais a leste e a favor do vento para auxiliar na operação de busca.
 
O MRCC identificou um navio a aproximadamente 400 milhas náuticas de distância e foi desviado para o local.
 
A etapa - O frio é um dos principais adversários dos velejadores que disputam a sétima etapa da Volvo Ocean Race, regata que tem como destino Itajaí, no Brasil. 
 
A brasileira Martine Grael, integrante do team AkzoNobel, relatou, nesta segunda-feira, que a navegação ocorre com neve. Os barcos estão beirando o limite de gelo, que a organização impôs para evitar contatos com icebergs.
 
"Nós estamos aqui se aproximando do Cabo Horn. As condições estão ficando cada vez mais extremas. Nós tivemos neve, pelo lado de fora. Várias tempestades de chuvas, então vento aumenta e nós temos que nos preparar, e cada um faz mais uma função. Com isso, fica até mais fácil de entreter. Realmente, estamos enfrentando ventos muito fortes e tem que se preparar para não quebrar o barco, pois precisamos seguir depois do Cabo Horn'', disse a atleta.
 
A campeã olímpica teve uma pequena lesão após bater o cóccix durante a velejada. Mas nada sério. O team AkzoNobel ocupa a sexta colocação por enquanto, mais de 60 milhas náuticas atrás do líder Team Brunel.
 
O Team Brunel continua a liderar sob a batuta dos veteranos Bouwe Bekking e Andrew Cape, que já passaram pelo Cabo Horn algumas vezes.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook