Rio perde voluntária e atletismo brasileiro ganha saltadora

Joana Costa saltou 4,50m e se classificou para Rio 2016 / Foto: CBAtJoana Costa saltou 4,50m e se classificou para Rio 2016 / Foto: CBAt

Rio de Janeiro - O Rio 2016 perdeu uma voluntária, mas foi por uma boa causa. No último final de semana, no Troféu Brasil de Atletismo, uma história de 22 anos de trabalho teve final feliz.

Na última oportunidade de obter índice para competir nos Jogos, Joana Costa saltou 4,50m e chegou lá. Aos 35 anos, fará sua estreia Olímpica. Até então, a chance de participar do Rio 2016 era como voluntária.

“Estava me dedicando a isso, não queria ficar fora desse evento de jeito nenhum", diz Joana, que ainda considera a possibilidade. "Até toparia ajudar depois de competir, mas as provas de atletismo vão até os últimos dias. Acho que não vai dar", lamenta.

"Porém, se me chamarem para os Jogos Paralímpicos eu vou". Classificada, Joana terá a oportunidade de competir ao lado de Fabiana Murer, que no Troféu Brasil fez a melhor marca da carreira, 4,87m.

“Quando nos encontramos no Troféu Brasil, brincamos: 'Quem diria! Não é que as velhinhas estão conseguindo?'". Diferente de Fabiana, porém, Joana sabe que ganhar medalha é uma perspectiva irreal. Mas nem por isso aceita a posição atual.

“Meu técnico disse que, do jeito que saltei no Troféu Brasil, não é impossível chegar a 4,60m. Teria uma chance de ser finalista." A empolgação é tanta que os planos pós-Olímpico mudaram. “Muita gente me pergunta se vou parar. Mas, quer saber? Agora é que eu não vou parar”, declara.

Veja Também: 

Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook