Número 1 do Brasil já precisou pedir dinheiro a Luciano Huck | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Número 1 do Brasil já precisou pedir dinheiro a Luciano Huck

Ygor Coelho é o maior destaque do Brasil no badminton atualmente / Foto: Divulgação / COBYgor Coelho é o maior destaque do Brasil no badminton atualmente / Foto: Divulgação / COB

Rio de Janeiro – Ele hoje, aos 18 anos, é o brasileiro mais bem colocado no ranking mundial da Federação Internacional de Badminton. Ygor Coelho integra a seleção principal, possui quatro patrocinadores, recebe bolsa do governo federal e é o principal candidato a uma vaga olímpica brasileira nos Jogos de 2016. Mas a realidade já foi bem diferente.
 
No início do ano passado, Ygor precisou recorrer ao programa de TV Caldeirão do Huck para conseguir algum dinheiro. O objetivo era disputar uma vaga para os Jogos Olímpicos da Juventude em Nanquim, na China.
 
O atleta foi ao quadro “Agora ou Nunca” para conseguir patrocinar suas viagens pelo mundo na reta final da classificação para o torneio na China. Aos 16 anos, ele conseguiu superar as três fases do desafio e ganhou R$ 30 mil.
 
O prêmio ajudou Ygor a viajar e conseguir a vaga para as Olimpíadas, como explica o próprio Ygor. "Meu pai não tinha dinheiro para bancar meus custos. Teria de fazer um sacrifício tremendo e certamente iria ficar no vermelho, com dívidas. Então, ele e os amigos mandaram e-mail para várias pessoas e um deles acabou indo para a produção do Caldeirão do Huck. Tive a sorte de ser escolhido e ir lá ganhar. Mas eu fiquei muito nervoso. Acertei quase tudo na última chance. Não tive tempo para treinar muito", explica.
 
A prova em questão pedia habilidades diferentes da que o atleta de badminton está acostumado: ele precisava arremessar garrafas dentro de um engradado na fase final. Antes, o desafio era tirar duas bolas de dentro de um cilindro com a ajuda de uma turbina.
 
A conquista ajudou o então adolescente a iniciar a busca pelo sonho da vaga nos Jogos Olímpicos. Nascido na comunidade da Chacrinha, no Rio de Janeiro, Ygor treina até hoje onde começou na modalidade, no projeto Miratus, criado por seu pai, Sebastião Oliveira.
 
Após a participação no programa, o atleta deslanchou na carreira. Recebeu um convite para treinar na Dinamarca e ficou três meses vivendo na Europa. Superou o compatriota Daniel Paiola, então maior nome do Brasil no badminton e agora está disputando ponto a ponto com ele a vaga na Rio 2016. "Sobre esta disputa com o Daniel posso dizer que é bem saudável. Temos uma ótima relação. Desejo o melhor para ele. Tenho certeza que qualquer um dos dois que for representará bem o Brasil", explica.
 
"Hoje a minha situação é bem melhor, não passo apertos. Estou muito perto de conseguir realizar o meu sonho que é disputar uma Olimpíada no quintal de casa. Não tenho palavras para descrever o que seria conseguir isso. Acho que só estando lá mesmo para sentir", conclui Ygor, em entrevista ao UOL.
 
Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook