Campeão olímpico foge de revanche com Esquiva Falcão e pede mais tempo

Esquiva (lado esq. da foto) / Foto: Flávio Perez | On Board SportsEsquiva (lado esq. da foto) / Foto: Flávio Perez | On Board Sports

Estados Unidos - O boxeador Esquiva Falcão foi informado pela Top Rank, empresa que promove suas lutas, de que o combate valendo o cinturão dos médios (até 72,5 kg) da World Boxing Organization (WBA) não vai mais acontecer em julho.
 
O japonês Ryota Murata, atual campeão da categoria, só quer lutar com brasileiro pelo título mundial a partir de outubro. Seria a revanche da polêmica final olímpica de Londres 2012.
 
Para que o boxeador não fique muito tempo parado, a solução de sua comissão técnica foi manter a programação e promover uma luta para Esquiva Falcão em 28 de julho, em Orlando, nos Estados Unidos. O adversário ainda não foi definido.
 
''Quer dizer que o Ryota Murata está fugindo de mim?'', indagou Esquiva Falcão. ''O japonês não tem como escapar desse combate. Esse adiamento só me dá mais vontade de buscar o que é meu. A medalha de ouro olímpica, pois eu venci aquela luta, e o cinturão''.
 
Esquiva Falcão venceu todas as 20 lutas que disputou como profissional. A última foi no StubHub Center, em Carson, nos Estados Unidos, em março de 2018. A vitória sobre o francês Salim Larbi foi o nocaute mais rápido da carreira do capixaba, faltando 51 segundos para fim do round. 
 
''O Murata está fugindo da luta com o Esquiva. O japonês está fazendo de tudo para adiar a luta. O Esquiva é muito perigoso e foi prejudicado na final olímpica. E como profissional, o brasileiro evoluiu mais do que o japonês'', explicou Sérgio Batarelli. ''Como o Esquiva ainda não é o primeiro desafiante, o Murata está evitando. Mas a Top Rank quer a luta''.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook