Canoagem Slalom ganha reforço na equipe técnica | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Canoagem Slalom ganha reforço na equipe técnica

Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - Visando a preparação dos atletas para os Jogos Olímpicos Rio 2016 e dar um suporte no desempenho da equipe permanente de Canoagem Slalom, a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) contratou o auxiliar técnico Jordi Domenjó Cadefau, que já se encontra trabalhando junto com a equipe.
 

Remando em competições internacionais desde 1996, Jordi conquistou uma medalha de bronze pelo C1 Masculino no Mundial realizado em Tacen, na Eslovênia, em 2010; agora o ex-atleta, que disputou sua última competição em Londres este ano competindo pela Espanha, está na expectativa do trabalho a ser realizado.

“Estou bem contente, porque vejo que entrei em uma equipe com muita visão, caráter e talento, podemos conseguir muitos resultados porque temos as qualidades necessárias” comenta. O profissional soma-se a equipe do treinador Ettore Ivaldi que já conta com o auxiliar técnico espanhol, Guille Diez-Canedo, além de diversos profissionais que dão suporte aos atletas. “Quero contribuir com o meu grão de areia nesse belo trabalho que já está sendo realizado” complementa.
 
O novo integrante já tem experiência, há três anos ele atuava como atleta pela sua pátria e treinador pelos Estados Unidos. “Conquistamos uma medalha de ouro no C1 Masculino para os norte-americanos” lembra Jordi. Para João Tomasini Schwertner, presidente da CBCa, o reforço no corpo técnico vai ajudar na preparação nesta reta final para os Jogos Olímpicos, ele frisa que o novo integrante atuará principalmente na preparação dos canoístas das modalidades de C1 e C2. “Queremos mostrar para o público brasileiro que a Canoagem Slalom não é mais uma promessa e sim uma realidade” explica.
 
Atualmente já existem bons resultados na modalidade, a principal promessa é a jovem Ana Sátila que garantiu a vaga nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012, na época com apenas 16 anos obteve a 16a colocação geral. Somente neste ano, nos Jogos Pan-americanos no Canadá ela obteve duas medalhas, um ouro no C1 Feminino e uma prata no K1. Já na primeira etapa da Copa do Mundo em Praga na República Tcheca outro feito inédito, um bronze pelo C1 Feminino. Em casa no mês de abril, durante o Mundial Sub-23 realizado em Foz do Iguaçu/PR, a mineira garantiu a prata pelo K1.
 
Além de Sátila, outros nomes ganham destaque como Pedro Henrique Gonçalves medalha de prata no Pan neste ano, e que também garantiu semifinais em todas as cinco etapas da Copas do Mundo de Canoagem Slalom pelo K1 Masculino. Destacam-se também Felipe Borges, bronze nos Jogos Pan-americanos e participante de duas semifinais nas Copas do Mundo; além de Leonardo Curcel com mais uma participação em semifinal na primeira etapa realizada em Praga, ambos pelo C1 Masculino. Ainda podemos contabilizar os feitos da dupla Charles Corrêa e Anderson Oliveira, medalhistas de prata no Pan no C2 Masculino.
 
A Canoagem Brasileira ganhou importantes reforços ao longo de uma década, inicialmente na parceria com a Itaipu Binacional que garantiu a estrutura de treinamento com Canal Itaipu e também o apoio ao Projeto Social Meninos do Lago. Posteriormente em 2012, ocorre a entrada do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento, que investiu através da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte e patrocinou investimentos importantes na estrutura técnica. Mais recentemente foi agregado o patrocínio com a GE – General Eletric que auxilia financeiramente e promove o suporte de tecnologia para o desenvolvimento de novos métodos de aprimoramento técnico do esporte.
 
Classificatória nacional para os Jogos Olímpicos - Por ser o país sede dos Jogos Olímpicos, o Brasil já tem a vaga garantida nas categorias da Canoagem Slalom, porém os atletas que irão participar do evento serão conhecidos apenas no ano que vem. Acontecerá uma seletiva nacional em março de 2016, de onde sairão os representantes para as disputas de competições internacionais. Durante o primeiro semestre do ano que vem haverá três etapas da Copa do Mundo, o atleta brasileiro que conquistar a melhor colocação no ranking internacional depois destas provas estará classificado para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook