Yacht Club de Ilhabela pronto para última etapa da Copa Suzuki Jimny

Sábado tem regata / Foto: Aline Bassi / Balaio Sábado tem regata / Foto: Aline Bassi / Balaio

Ilhabela - Está chegando a hora da decisão da Copa Suzuki Jimny, umas das principais competições de vela da América Latina. Mais de 50 barcos são esperados no litoral norte paulista, nos dias 24 e 25 de novembro e 1 e 2 de dezembro. O evento será a última etapa do circuito e terá como uma das atrações a Volta a Ilhabela - Sir Peter Blake. 

A prova de aproximadamente 35 milhas náuticas (65 quilômetros) é apontada por velejadores como imperdível, misturando estratégia, tática, desempenho e belas paisagens. O Yacht Club de Ilhabela (YCI) está pronto para receber os atletas e para fazer a famosa confraternização depois de uma temporada especial para a modalidade. Para a quarta etapa estão convidados os barcos das classes ORC, RGS (A,B,C e Cruiser), HPE e C30.

As inscrições serão feitas no YCI, na secretaria do evento, com valor de R$ 80,00 por tripulante (exceto mirim, que é isento da taxa). O local está preparado para receber os velejadores que disputarão provas de longa e média duração e de barla-sota (vai contra e volta a favor do vento). Situações de regata que exigem técnica e habilidade das tripulações, como explica Carlos Eduardo Souza e Silva, o Kalu, diretor de vela do YCI e comandante do Orson/Mapfre na classe ORC.

"Na barla-sota, o grande desafio são as manobras e o aproveitamento das variações relativamente pequenas de vento e corrente que fazem um lado ou outro da raia ser favorecido. Nas regatas mais longas de percurso, o fundamental é a capacidade de adaptação às mudanças de condições e escolher bem o caminho para se manter com vento, evitando os buracos e aproveitando os locais de ventos mais fortes. Além do que, como grande parte da regata é em mar aberto, o bom aproveitamento das ondas é fundamental e bem como da correnteza nas entrada e na saída do canal".

A Volta a Ilha - Os barcos das classes ORC, C30, RGS (A e B e RGS Cruiser maior que 30 pés) partem para o desafio, de aproximadamente sete horas, do Yacht Club de Ilhabela (YCI). Já as embarcações menores, que medem nas categorias ORC Club 700, RGS C e RGS Cruiser menor do que 30 pés terão uma regata de percurso médio ou barla-sota. Já os HPEs participam de uma regata sozinhos. Isso porque os modelos não têm características de velejar em mar aberto.

A prova homenageia Sir Peter Blake, lendário navegador da Nova Zelândia falecido em 2001 e que esteve presente na primeira edição da prova, em 2000, com seu veleiro Polar Seamaster no YCI.

A Volta a Ilhabela passa pelos quatro faróis da Ilha: Ponta do Boi, Ponta Grossa, Ponta da Sela e Ponta das Canas. Em 2012, a premiação ao vencedor da regata será a maquete do farol da Ponta da Canas. "A regata é uma das mais queridas do calendário e vale pontos importantes para a Copa Suzuki Jimny. Conforme a previsão do tempo, nossa equipe decidirá se a prova será por bombordo (sentido anti-horário) ou por boreste (sentido horário)", relata Cuca Sodré, presidente da Comissão de Regatas. O tempo médio para percorrer as 35 milhas com condições de mar e ventos médios gira em torno de 7 horas

Resultados acumulados após três etapas:

ORC após 15 regatas e 4 descartes

1º - Touché Tomgape (Ernesto Breda) - 11 pontos perdidos
2º - Orson Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 25 pp
3º - Tembó Guaçu (André Omatti) - 29 pp

ORC 30 pés após 15 regatas e 4 descartes
1º- Sextante (Thomas Leomil Shaw) - 11 pp
2º- Zeppa (Diego Zaragoza) - 23 pp
3º- Colin (Sebastian Menendez) - 24 pp

C30 após 16 regatas e 2 descartes
1º - Barracuda (Humberto Diniz) - 22 pp
2º - TNT Loyal (Marcelo Massa) - 23 pp
3º - + Realizado (José Luiz Apud) - 33 pp

HPE após 22 regatas e 4 descartes
1º - Ginga (Breno Chvaicer) - 62 pp
2º - SER Glass Eternity (Bruno Prada) - 63 pp
3º - SX4/Bond Girl (Rique Wanderley) - 72 pp

RGS-A após 15 regatas e 4 descartes
1º - Fram (Felipe Aidar) - 20 pp
2º - Inaê Transbrasa (Bayard Umbuzeiro) - 32 pp
3º - BL3 Wind Náutica (Edgardo Vieytes) - 32 pp

RGS-B após 15 regatas e 4 descartes
1º - Nomad (Mauro Dottori) - 14 pp
2º - Anequim (Paulo Fernando de Moura) - 22 pp
3º - Asbar II (Sérgio Klepacz) - 25 pp

RGS-C após 15 regatas e 4 descartes
1º - Ariel (Luis Pimenta) - 16 pp
2º - Rainha/Mix Saúde (Leonardo Pacheco) - 18 pp
3º - Conquest (Marco Hidalgo) - 32 pp

RGS-Cruiser após 15 regatas e 4 descartes
1º - Hélios II/ Hospital Sírio Libanês (Marcos Lobo) - 11 pp
2º - Cocoon (Marcelo Caggiano) - 23 pp
3º - Pirajá (Rubens Bueno) - 32 pp

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook