Após vencer três e chegar às quartas, Toldo exalta 'torcida igual futebol'

Toldo vibra muito com sua vitória / Foto: Alex Livesey / Getty ImagesToldo vibra muito com sua vitória / Foto: Alex Livesey / Getty Images

Rio de Janeiro - Ele alcançou seu melhor resultado em Olimpíadas: foram três vitórias seguidas na Arena Carioca 3, neste domingo, no Parque Olímpico. O esgrimista Guilherme Toldo igualou o resultado que Natalie Moellhausen conquistou no sábado e acabou eliminado na fase de quartas de final.

O duelo do brasileiro foi contra o italiano Daniele Garozo, seu colega de treino na Itália. Perguntado sobre a sensação de chegar tão longe, ele diz estar feliz. "Legal, estou curtindo, vim para isso mesmo. Treinei forte, para chegar o mais longe possível. Eu me preparei para isso e fiquei contente", afirma. 

Durante sua última luta, das oitavas de final, contra o esgrimista de Hong Kong, Toldo parecia reclamar muito com a arbitragem, que atuava de forma confusa.

"A esgrima é difícil de perceber mesmo. Às vezes dentro da pista se tem uma associação, fora da pista é outra. E aí os árbitros, que tem uma visão mais neutra, eles têm uma visão mais pura. Por isso busco entender o ponto de vista do árbitro e tentar usar isso durante o combate, tentar reverter isso como eu acabei fazendo. Eu sou um cara que pergunto, pra saber qual é o ponto de vista da pessoa para não cometer o mesmo erro", observa Toldo.

Quanto ao barulho da torcida, que repetiu o comportamento do sábado, gritando muito e vaiando o adversário, Toldo fez uma associação com o futebol. 

"Tem certas pessoas que conseguem administrar isso dai de uma maneira diferente [a torcida], eu estou conseguindo usar a meu favor, estou curtindo. É óbvio que acaba fazendo alguma diferença. É legal. Estou me sentindo bem, estou conseguindo focar, usar isso a meu favor. As vaias, isso não acontece normalmente, não acha que é campo de futebol, aqui o pessoal está achando, né? (risos)", conclui Toldo.

"Mas é por isso que é Olimpíada, senão não teria a graça que tem. Não teria tanta emoção, tudo muda, tudo é mais intenso", conclui.

Foi a segunda vez em que a esgrima do Brasil chegou às quartas de final de uma Olimpíada. A primeira aconteceu ontem, quando Natalie disputou sua chave e caiu também nas quartas.

Veja Também: 

 

 

 

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook