Nilson Moreira habilitado para integrar o Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais

Nilson Moreira da Silva e Magnums Martini no cross country / Foto: Mackenzie HahNilson Moreira da Silva e Magnums Martini no cross country / Foto: Mackenzie Hah

Estados Unidos - No final de semana passado, entre os dias 9 e 13 de maio, foi a vez do cavaleiro Nilson Moreira da Silva, e seu castanho Magnums Martini, garantir o 2º e definitivo índice técnico na modalidade de Concurso Completo de Equitação - CCI 3* em New Jersey rumo aos Jogos Equestres Mundiais 2018, entre os dias 11 e 23 de setembro.
 
Nilson, 42 anos, e Magnums Martini, um holsteiner de 14 anos, fecharam na 11ª colocação no CCI 3 estrelas com - 57.10 pontos perdidos: 43,50 no Adestramento, zero pontos no cross country e apenas 5.60 perdidos no tempo e oito pontos na prova de Salto.
 
A armação dos percursos esteve a cargo de Mark Phillip, que também arma os Jogos Equestres Mundiais. "Nós fomos os mais rápidos no cross country entre os 28 conjuntos ultrapassando o tempo em só 14 segundos em um percurso com 43 esforços. Por isso, recebemos uma premiação especial - o Martini - pelo melhor condicionamento e por chegar mais próximos ao tempo ideal. Fiquei super feliz"
 
Nesse importante passo na briga por uma vaga no Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais, Nilson, natural de Colina no interior paulista e há sete anos radicado nos EUA, contou com um apoio especial. "Na noite de sexta para sábado choveu muito e eu estava desanimado por não ter ido muito bem com meus primeiros dois cavalos e cheguei cogitar de não competir com o Magnums. Foi quando minha filha Linda, de 14 anos, chegou e falou: "pai assiste de novo esse vídeo" (motivacional) e que basicamente transmitia a mensagem de não desistir nunca e dar sempre o nosso máximo. Fez a diferença: esqueci tudo e consegui largar de cabeça fria e garantir esse importante resultado", contou Nilsinho, que chegou aos EUA com U$ 300 no bolso há 7 anos.
 
"Moro em Aikin na Carolina do Sul e hoje temos 22 cavalos nas cocheiras, dos quais 10 estão em competição desde a categoria cavalos novos até o nível 4*. Quem me conhece sabe que comecei por baixo, só tenho a agradecer a todos que torcem por mim, em especial, a minha esposa Luara VanderVliet e toda minha equipe!", destacou o brasileiro, reserva na Rio 2016 e que detém diversas importantes classificações em Internacional de 1* a 3* nos EUA.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

Rio 2016

Hortência dá conselhos ao filho:  "Vila Olímpica é disneylândia sexual"

{vimeo}152147861{/vimeo}

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook