Domingo sem pódio no judô

Erika Miranda e Leandro Cunha são eliminados em suas lutas de estreia/ Foto: DivulgaçãoErika Miranda e Leandro Cunha são eliminados em suas lutas de estreia/ Foto: Divulgação

Londres- A manhã deste domingo, 29 de julho, não foi boa para o judô brasileiro nos Jogos Olímpicos de Londres. Depois do ouro de Sarah Menezes e do bronze de Felipe Kitadai na véspera, as esperanças estavam depositadas em Leandro Cunha e Erika Menezes, da categoria meio-leve. Mas os dois foram derrotados logo de primeira no Excel Center.

 

Vice-campeão mundial de judô em Tóquio (2010) e Paris (2011), 5º do ranking mundial e ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (2011), Leandro Cunha, de 31 anos, era um dos favoritos na meio-leve (- 66kg) masculino, mas foi eliminado pelo polonês Pawel Zagrodnik por um yuko logo na primeira luta. Como no judô o atleta precisa chegar ao menos até as quartas-de-final para entrar na repescagem, Leandro encerrou sua participação na competição.
 
“Eu senti que o polonês me estudou muito. Tentei encaixar meu jogo sempre em busca do ippon, mas ele ficou na defensiva e acabei entrando no jogo dele, que anulou um pouco meu judô, minha entrada de golpe. Eu me preparei tanto, estudei tanto, e saí sem medalha. Nem sempre é do jeito que a gente quer. Faz parte do judô, né? Serve para a gente amadurecer. Agora é corrigir e trabalhar mais quatro anos, pensando no próximo ciclo olímpico, no Rio”, disse Leandro após a luta.
 
Muito emocionada, Erika Miranda mal conseguia falar após sua derrota para a sul-coreana Kyung-Ok Kim, também em sua primeira luta. A judoca de 25 anos, 4ª colocada do ranking mundial da categoria meio-leve (- 52kg) e medalha de prata nos Jogos Pan-americanos do Rio (2007) e de Guadalajara (2011), terminou a luta empatada com a sul-coreana, com um yuko para cada lado. O confronto foi para o desempate no golden score e Erika sofreu um ippon com menos de um minuto.
 
“Desculpa. Eu não tenho palavras para o que estou sentindo agora. Quero agradecer ao meu pai e à minha mãe, minha família, que sempre torceu por mim. Muito obrigada por tudo”, disse Erika, chorando muito, depois da luta.
 
A medalhista de ouro Sarah Menezes serviu de sparring para Erika durante seu aquecimento e torceu muito pela amiga. “Eu esperava que ela ganhasse uma medalha. A Erika fez uma baita luta, mas deu mole no finzinho. Mérito da adversária”, analisou. “Ao Leandro faltou se soltar um pouco, acho que ele esperou muito e acabou punido”, comentou a campeã.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook