Irmãos do boxe buscam medalha em nome do pai

Yamaguchi Falcão/ Foto: DivulgaçãoYamaguchi Falcão/ Foto: Divulgação

Londres- Touro Moreno é figura folclórica do boxe nacional. Ainda hoje, aos 75 anos, e a despeito dos apelos dos filhos, vez por outra sobe aos ringues para enfrentar adversários até 30 anos mais novos. O lutador é a inspiração de Yamaguchi Falcão e Esquiva Florentino na busca por medalhas em Londres 2012. Os irmãos lutadores se preparam para tentar levar o Brasil de volta ao pódio após 44 anos – em 1968, Servílio de Oliveira conquistou o melhor resultado do país nos Jogos Olímpicos ao ficar com o bronze na Cidade do México – e, quem sabe, oferecer duas medalhas ao pai e mentor.

 

“Estamos realizando a maior felicidade de um pai que tem filhos atletas. Estamos os dois nos Jogos Olímpicos e já disse em casa que viemos buscar a medalha para ele”, prometeu Esquiva, lembrando que Touro Moreno  já estava satisfeito com um filho classificado. “Ele comemorava o fato de ter um atleta nos Jogos e acabou com dois. Ficou explodindo de felicidade quando veio a confirmação. É uma emoção enorme estar aqui com meu irmão, a presença dele traz uma união que vai ajudar muito dentro e fora do ringue. Com união, tudo dá certo”.
 
Enquanto Esquiva, de 22 anos, já tinha vaga garantida em Londres 2012 desde outubro do ano passado, quando conquistou a medalha de bronze entre os médios (até 75kg) no Mundial de Baku, no Azerbaijão, o irmão mais velho, Yamaguchi, de 24, só carimbou o passaporte para os Jogos no Pré-Olímpico das Américas, em maio deste ano. Além de duplicar a alegria do pai, o lutador, que subiu de peso e agora se arrisca entre os meio-pesados (até 81kg), evitou uma segunda decepção, depois de ficar perto da classificação para Pequim 2008 e bater na trave. Agora, a festa está perto de ficar completa.
 
“A equipe já é uma família, mas o fato de ter meu irmão aqui deixa tudo ainda melhor. Agora meu pai tem duas cartas em Londres e uma delas há de render uma medalha. Tomara que as duas rendam, para ficar completo”, torce Yamaguchi, festejando também a liberdade para aproveitar as cobiçadas refeições da chef Roberta Sudbrack, responsável pelo cardápio do Crystal Palace. “Com a mudança de categoria, tenho dificuldade para chegar aos 81kg, então não tenho que abrir mão de nada. Muito pelo contrário, posso comer de tudo e ainda assim vou ter que ver se chego lá na hora da pesagem. Enquanto todo mundo está se sacrificando para não comer tanta coisa gostosa, eu posso abusar”, comemora.