10 km: Brasil sai do 50º para o 7º lugar com Allan do Carmo

Allan do Carmo, 7º do mundo na distância olímpica / Foto: Satiro Sodré / Divulgação CBDAAllan do Carmo, 7º do mundo na distância olímpica / Foto: Satiro Sodré / Divulgação CBDA

Barcelona - A prova de 10km (percurso olímpico) masculina de maratonas aquáticas confirmou o ótimo momento do Brasil nas maratonas aquáticas. Na prova desta segunda-feira, 22/07, Allan do Carmo, que no Mundial de Xangai 2011 foi 50º da distância, desta vez chegou em 7º lugar e chegou a estar em quarto na prova.
 
"Foi uma prova muito difícil, muito disputada, com os melhores do mundo. Foi um excelente resultado. Este era um objetivo, estar entre os 10 primeiros porque esta colocação daria a vaga para as olimpíadas se estivéssemos em 2015. Este é o resultado do trabalho que a gente vem fazendo com uma equipe inteira e só é possível graças ao Projeto Medalha do Ministério dos Esportes, os Correios, a Bahia Gás, o Projeto Faz Atleta e o Governo da Bahia . O objetivo é chegar em 2016 brigando entre os três primeiros. Estou feliz porque foi um grande resultado", disse Allan.
 
O grego Spyridon Gianniottis (1h49m11s8) sagrou-se bicampeão dos 10km neste Mundial, seguido pelo alemão Thomas Lurz (1h49m14.5) e pelo tunisiano Oussama Mellouli (1h49m19.2). Diogo Villarinho, que vinha bem na disputa (8º na primeira volta, 5º na segunda e 24º na terceira) levou muitas pancadas, inclusive pelo chinês Lijun Zu, que já havia sido desclassificado por este motivo na primeira volta quando era o terceiro colocado, mas permaneceu nadando por um bom tempo, apesar da bandeira vermelha, e terminou na 52ª posição.
 
Na disputa em Barcelona, Allan do Carmo terminou a primeira volta em 32º lugar, na segunda subiu para o 21º, na terceira chegou ao quarto lugar e terminou em sétimo. Segundo ele, esta é uma estratégia e uma característica.
 
"Eu tento me segurar no início para descansar. Se você observar, muitos dos que ficaram entre os 10 primeiros, no início estavam longe. O vencedor estava atrás de mim. Isto é estratégia montada em cima da característica de cada um. O Mellouli já gosta de ficar na ponta desde o início", analisou.
 
Também feliz com o resultado, o técnico Carlos Arapiraca contou o que fez Allan pular 43 posições em dois anos.
 
"Descobrimos que ele tem um problema grande com a hidratação. Ele se desidrata mais facilmente do que os outros atletas e foi feito um trabalho grande em cima disto com o doutor Blanco (José Blanco Herrera) e o Daniel (nutricionista Daniel Cady). É um trabalho multidisciplinar. Viemos muito bem preparados para os 25 quilômetros, que tem tudo para ser a nossa prova na competição", explicou.
 
O nutricionista Daniel Cady complementou que foram feitos exames muito específicos para detectar a dificuldade do atleta.
 
"Allan chega a perder mais de quatro quilos depois de um treino. Isso é muito, mesmo para um atleta de maratonas aquáticas. Fizemos exames muito específicos e hoje sabemos exatamente o que ele precisa fazer para competir e terminar bem hidratado. Minha função aqui é praticamente só tomar conta disso. Ainda preciso realizar mais exames, mas estou quase certo de que ele também perde mais sódio que o normal. Estamos atacando tudo isso e está dando resultado", disse.
 
Nesta terça-feira, 23/07, Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto voltam ao Port Vell para a versão feminina dos 10 quilômetros. As disputas dos 25 quilômetros feminina e masculina acontecem no próximo sábado, 27/07.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook