Gêmea do nado concilia rotina de atleta com fama na web: "difícil"

Bia e Branca Feres posam em frente à piscina do Maria Lenk / Foto: Esporte AlternativoBia e Branca Feres posam em frente à piscina do Maria Lenk / Foto: Esporte Alternativo

Rio de Janeiro - Integrante de seleção brasileira de nado sincronizado e uma das representantes do Brasil nas Olimpíadas Rio 2016, Branca, irmã gêmea de Bia, também da seleção, precisa conciliar diariamente suas oito horas de treinos na piscina com uma vida de pessoa pública. 

Tanto ela quanto a irmã, famosas desde os Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, vão participar pela primeira vez dos Jogos Olímpicos, mas acumulam dezenas de milhares de seguidores em várias redes sociais, como Facebook e Snapchat. Para manter tudo nos conformes, segundo Branca, não é fácil. 

"Muitos dos nossos seguidores pedem pra gente mostrar mais do nosso treinamento, e pra gente é muito difícil, porque não dá pra ficar com celular na hora do treino. A gente guarda e ponto. Pra não chamar a atenção", conta. 

Segundo a atleta, elas têm uma separação do que fazem enquanto estão treinando, na piscina, e quando vão embora e vivem suas vidas de pessoas públicas. 

Luísa Borges e Maria Eduarda Miccuci, do dueto / Foto: Esporte AlternativoLuísa Borges e Maria Eduarda Miccuci, do dueto / Foto: Esporte Alternativo

"De vez em quando que a gente bota um videozinho de uma apresentação, ou faz um snapchat, alguma coisa assim, mas é muito pouco. A nossa vida nas redes sociais é quando a gente vai embora do treino. Ou quando a gente tá chegando, que a gente gosta de cantar de manhã, mas é só isso mesmo", emenda, aos risos, Branca. 

Agora, a pouco mais de 30 dias da abertura dos Jogos Olímpicos, resta pouco a fazer à seleção de nado sincronizado, a não ser... Treinar. Mais e mais, como bem lembra Luísa Borges, que faz dupla no dueto brasileiro com Maria Eduarda Miccuci. 

"A gente tem que treinar muito mesmo, fazer o que a gente já está fazendo. A gente está há um ano e meio só focada nessa coreografia... Então é isso, prestar atenção nos últimos detalhes, olhar nossa apresentação de hoje, ver o que a gente pode melhorar ainda e nadar com tudo", conclui a atleta. 

A seleção brasileira de nado sincronizado se apresentou pela última vez na piscina do Maria Lenk, para a imprensa, nesta quarta-feira. Agora, o Parque Aquático será entregue ao Comitê Organizador da Rio 2016 para os ajustes finais antes de receber as Olimpíadas. 

Veja Também: