Badminton transforma a vida de centenas de jovens no Piauí | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Badminton transforma a vida de centenas de jovens no Piauí

Lucas Alves e Andreza Miranda / Foto: Divulgação

Piauí - O badminton vem mudando a vida de centenas de crianças no Piauí. Inaugurado em 2006, o projeto “Jovens Talentos de Badminton” beneficia mais de 800 crianças e adolescentes, de sete a 18 anos, em escolas públicas de Teresina. 
 
A iniciativa promove a inserção social e resgata a cidadania por meio da prática regular do esporte – que já se tornou uma verdadeira febre entre a garotada no estado – e revela ainda novos atletas para o Brasil.
 
O projeto, que recebeu, em 2011, o prêmio “Esporte e Responsabilidade Social”, do Comitê Olímpico Internacional (COI), mostra seu resultado nas quadras. À frente das seleções brasileiras de base, a técnica Norma Teotônio Rodrigues comemora a trajetória destes jovens, que estão rompendo as barreiras sociais e territoriais brasileiras.
 
“Desde 2009, atletas do projeto se destacam em campeonatos sul e pan-americanos. No ano passado, no Pan do Canadá, trouxemos um ouro, uma prata e dois bronzes. Neste ano, no Pan do México, quase dobramos o número de medalhas, com sete no total. E no sul-americano do Peru, conquistamos nove medalhas de ouro. Aqui no Brasil, conseguimos o título de melhor equipe, três vezes seguidas e, no último campeonato nacional, em Campinas (SP), foram 13 medalhas de ouro em 25 possíveis”, conta Norma.
 
O sucesso foi tanto que, em 2011, Norma e dois jovens talentosos – Andreza Miranda, de 18 anos, e Lucas Alves, de 19 – passaram três meses treinando na Malásia, onde o esporte é o número 1 em popularidade.
 
“Ficamos na cidade de Setia Alan, no estado de Selangor, treinamos em uma academia com 26 quadras e excelentes técnicos. Um deles era Han Jian, um chinês campeão mundial duas vezes. Foi uma experiência fantástica”, contou Norma.
 
Walesson Vinícius dos Santos, de 14 anos, é uma das “estrelas internacionais” do badminton do Piauí. Ele começou a jogar na Escola Municipal Nossa Senhora da Paz, em Teresina, em 2007 e, em seguida, passou a defender a seleção piauiense. Dois anos depois, estreou em competições internacionais, conquistando a medalha de ouro no Campeonato Sul-americano da Colômbia. Apesar do tempo dedicado aos treinos, Vinícius garante que o esporte nunca atrapalhou seus estudos.
 
 “Pelo contrário, só melhorei no colégio. O esporte ajuda muito na concentração e na força de vontade”, explicou.
 
Melhor atleta brasileiro da atualidade, Daniel Paiola está sempre atento ao surgimento de novas promessas do badminton. E ensina: “Já perdi muitas partidas, tomei muita petecada. O recado que deixo pra vocês é que não importa o tamanho do sonho, corram atrás. Não desistam. Eu comecei a jogar com 14 anos e disputei minha primeira competição nacional com 18. Essa oportunidade que vocês têm de disputar competições nacionais e internacionais desde cedo é única”, diz Paiola, número 142 do ranking mundial.
 
Diante de tamanho sucesso, o projeto não para de crescer e comemora hoje a implantação de novos núcleos no estado. “O projeto começou há sete anos com uma iniciativa pessoal. Hoje, temos 16 núcleos de badminton em escolas públicas de Teresina, mais três privados e núcleos em outras quatro cidades: Castelo do Piauí, Madeiro, Luzilândia e Parnaíba. Nosso projeto continua firme e forte, mas temos muito a crescer ainda”, conta Norma
 
Rio de Janeiro e Campinas também apostam no badminton - Outros dois programas sociais de badminton se destacam no país do futebol. Em Campinas, mais de 120 jovens são beneficiados pelo projeto “Os Seareiros”, realizado desde 2007, na Vila Brandina .
 
No Rio de Janeiro, o projeto “Miratus” conta com cerca de 230 alunos - inclusive adultos de até 27 anos - na favela da Chacrinha, na Zona Oeste. E, desde 1998, desenvolve atividades físicas e educativas com o objetivo de promover a inserção social e de descobrir novos talentos do esporte. Os principais frutos são Lohaynny Caroline, de 17 anos, que treina com a seleção brasileira permanente em Campinas, e Ygor Coelho, de 16 anos. Em outubro, Ygor vai disputar o Mundial Júnior na Tailândia.

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook