Maurren Maggi voa 6,89m e conquista o ouro no GP Caixa/São Paulo Internacional de Atletismo | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Maurren Maggi voa 6,89m e conquista o ouro no GP Caixa/São Paulo Internacional de Atletismo

Maurren Maggi voa e faz a melhor marca do mundo em 2011 no GP Caixa/São Paulo Internacional de Atletismo / Foto: Esporte Alternativo

São Paulo A brasileira Maurren Maggi estava impossível no GP Caixa/São Paulo de Atletismo. Com quatro belos saltos ela conseguiu o seu melhor resultado no ano e a segunda marca do mundo em 2011.

Ainda na pista, Maggi chegou a comemorar como se tivesse com a melhor marca do ano. O que a campeã olímpica e nem a Federação Paulista de Atletismo sabiam é que a bielorussa Veronika Shutkova, numa competição em seu país, havia conseguido um dia antes saltar incríveis 6,95m.  

Muito aplaudida, vestida com a camisa 7 do São Paulo FC, ela comemorou muito a vitória na pista, distribuindo beijos para os torcedores e vibrando como se tivesse conquistado nova medalha olímpica. Maurren abraçou a filha Sofia e a amiga da filha, Duda, com as quais subiu ao pódio. Depois interrompeu a entrevista coletiva para abraçar o ortopedista Moisés Cohen, que operou o seu joelho direito, justamente o da perna de impulsão. Ela chorou muito no ombro do médico.

"Se não fosse ele, eu não estaria aqui. Devo muito a ele pela cirurgia bem feita, que me devolveu a chance de competir e de viver um momento tão lindo como o de hoje", disse Maurren, enxugando as lágrimas. "Tive um dia maravilhoso", concluiu.

Mais até do que o resultado de 6,89 m, que ratificou os índices para o PAN do México e para o Mundial da Coreia do Sul, Maurren conseguiu uma sequência espetacular, com três saltos de 6,84 m, um de 6,89 m e dois queimados. "Voltei para ganhar e ninguém me tira mais daqui", comentou a saltadora, que quer se concentrar na conquista do tricampeonato do PAN. "A Olimpíada de Londres está longe. Quero muito o tri no PAN. Se tiver indo bem, vou continuar competindo", disse a paulista de São Carlos, de 34 anos.

Quem comemorou bastante também foi a pernambucana Keila Costa, que, mesmo depois de ficar em 5º lugar no triplo (13,98 m), conseguiu a 3ª colocação no salto em distância, com 6,67 m, superando o índice exigido para o Mundial (6,65 m) e ficando a 2 cm da marca mínima para o PAN. "Garanti meu lugar no Mundial e no Pan é questão de tempo. Senti um pouco o cansaço do triplo, mas mesmo assim acho que fui bem na distância."

O técnico Nélio Moura, que orienta as duas atletas, disse que faltou muito pouco para o dia ser perfeito. "Só faltou a Maurren acertar o último salto, aí ela ultrapassaria os 6,90 m", afirmou o treinador, feliz com a performance de suas duas atletas.

Em 2011, Maurren tentará o tri dos Jogos Pan-Americanos e uma medalha no Mundial de Daegu, na Coreia do Sul. A pista, já aprovada para receber a certificação Classe 1, a máxima concedida pela lAAF, ajudará a todos os atletas que buscam quebrar marcas, de acordo com a campeã olímpica.

Maurren Maggi cravou a marca de 6,89m. Feliz pela conquista, Maurren aprovou a nova pista. "A pista está ótima, de nível internacional. As outras meninas também foram bem hoje (domingo) e eu espero que outros eventos como esse ocorram no Ibirapuera, na nova pista", revelou Maurren Maggi, líder do ranking mundial de salto em distância.

O Estádio Ícaro de Castro Mello foi totalmente reformado, recebendo novas cadeiras na área do público, 470 refletores para eventos noturnos com transmissão em HDTV, novo gramado no campo de futebol, pintura das arquibancadas e, o principal, uma pista de atletismo moderníssima. O piso sintético, Regupol, foi importado da Alemanha e é o mesmo que a Recoma instalou na pista do Centro Olímpico de São Paulo, também Classe 1.

O evento - O estádio Ícaro de Castro Mello, no Ibirapuera(SP), recebeu mais de 180 atletas de 27 países para a disputa do GP Caixa/São Paulo Internacional de Atletismo. O evento marcou também a reinauguração da pista construída pela Recoma para receber competições de alto nível. O encontro dos principais nomes do atletismo mundial foi aberto pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e pela vice-prefeita da capital paulista, Alda Marco Antonio.
 

O presidente da Federação Paulista de Atletismo, José Antonio Fernandes, comemorou o retorno do evento a São Paulo depois de três anos. "Mais uma vez, a cidade recebeu nomes importantes da modalidade. É uma honra receber o evento. A pista, de nível internacional, é importante para o Brasil e para formação de novos atletas. O Estádio Ícaro de Castro Mello é o templo do atletismo no País. A FPA agradece ao governo pela obra", ressaltou.

O ouro e o ótimo desempenho de Maurren Maggi obtidos em São Paulo orgulham o presidente da FPA. "Foi com chave de ouro a reestreia da pista. Maurren foi revelada aqui no Ibirapuera", contou José Antonio Fernandes.

Elite do atletismo em São Paulo - Outra presença ilustre foi do velocista ingles Dwain Chambers. O atleta ficou com o ouro no GP Caixa São Paulo Internacional de Atletismo nos 100 metros rasos com 10s01.

"A atmosfera e o clima no Brasil são legais. Eu achei também a pista fantástica. As instalações são ótimas e o nível é internacional", revelou Chambers, que aproveitou para fazer uma alto crítica sobre seu resultado, apesar da vitória e do melhor tempo em 2011. "Infelizmente, eu não estava preparado para competir em alto nível".

Na mesma prova, o também velocista Nelson André cravou a melhor marca pessoal nos 100 metros rasos com 10s18. O atleta classificou a pista como ideal. "É uma pista ótima para treinar e competir. Já saíram resultados bons na estreia e a tendência é melhorar com o tempo", afirmou Nelson André.

Nos 100 metros femininos, vitória de uma africana. A nigeriana Oludamola Osayomi não deu chance às adversárias e garantiu pela terceira vez consecutiva o lugar mais alto no pódio (venceu em Belém e Uberlândia ) e ainda entrou para a história do atletismo sul-americano, ao se tornar a segunda mulher a correr abaixo dos 11 segundos em um país da área.

"Estou muito feliz, é o melhor tempo da minha vida. Estava um pouco nervosa, mas fiquei focada ao máximo. Ontem cheguei a me sentir um pouco indisposta, mas pensei: vim aqui para correr e não vou me entregar, e estou fazendo isso. Para as próximas competições quero chegar ainda mais forte. Quando acabar aqui vou voltar para casa e seguir treinando", avisou a atleta que segue para o Rio de Janeiro esta semana disputar o GP do Estádio Olímpico João Havelange.

No revezamento 4x100 masculino, destaque para a equipe A do Brasil - com Nilson André, Sandro Viana, Ailson Feitosa e Basílio de Moraes Júnior. O quarteto venceu a prova com o tempo de 38.77. A marca é índice para o PAN e Mundial. No salto em altura, o atleta de Bahamas Trevor Barry foi o campeão do salto em altura com 2,27 m.

A equipe feminina brasileira do revezamento 4x100 m, formada por Ana Cláudia Silva, Franciela Krasucki, Rosemar Coelho Neto e Vanda Gomes, venceu a prova deste domingo com 43.21, superando os índices exigidos para o PAN (44.34) e para o Mundial (43.83).

"A gente sabia que o índice era apenas questão de tempo. Fizemos um estágio de treinamento de três semanas nos Estados Unidos e agora estamos colhendo o resultado. Tudo deu certo. Cada uma deu o seu melhor, o vento não atrapalhou e corremos numa pista boa", vibrou Ana Cláudia, líder do Ranking Brasileiro deste ano, com 11.19. "Faltava encaixar alguns detalhes para a gente conseguir os índices", completou a cearense de Jaguaratema, de 22 anos.

Caterine Ibarguen quebrou duas vezes o recorde sul-americano do triplo, com 14,58 m e 14,59 m, ganhando a medalha de ouro. O recorde anterior era da brasileira Keila Costa, com 14,57 m, desde 9 de junho de 2007. "Sinceramente, não esperava bater o recorde sul-americano, mas, consegui uma série boa de três saltos", lembrou a atleta de 27 anos, que tinha 14,50 m como recorde pessoal. "Troquei de técnico e estava esperando uma evolução, mas não o recorde tão cedo", completou a versátil atleta, que disputa também o salto em altura e o salto em distância.

Já nos 400 m masculino, houve uma surpresa. Kleberson Davide, especialista nos 800 m, foi o vencedor. Ele aproveitou o ritmo fraco de prova para se recuperar da largada ruim e ganhar a prova. "Minha largada é muito ruim nos 400 m e por isso optei pelos 800 m, onde tenho mais tempo de recuperação", observou o paulista, que já tem índice para o PAN e para o Mundial.

Homenagem a ex-atletas - Logo após inaugurar a pista de atletismo do Estádio Ícaro de Castro Mello, o governador Geraldo Alckmin participou da cerimônia de entrega do Ginásio Geraldo José de Almeida, que também foi totalmente reformado. Nesta solenidade, Alckmin entregou medalhas de honra ao mérito esportivo a ex-esportistas e jornalistas.

Foram homenageados pelo atletismo Wanda dos Santos e Nelson Prudêncio. Wanda tem quatro medalhas pan-americanas na década de 50 e disputou as Olimpíadas de Helsinque (52) e Roma (60). Prudêncio é um dos maiores nomes do salto tripo brasileiro. Tem duas medalhas olímpicas e duas pan-americanas, nas décadas de 60 e 70.

Atletas representativos de outros esportes também receberam a honraria. Pelo basquete - Hortência, Amaury Passos e Wlamir Marques -, judô - Aurélio Miguel -, boxe - Eder Jofre - e vôlei - Ana Moser. Dois jornalistas, Luis Noriega e Fernando Solera, completaram a lista dos homenageados.

Em breve, aqui no Esporte Alternativo, você vai poder acompanhar os melhores momentos do GP Caixa/São Paulo Internacional de Atletismo. Tudo gravado com câmeras de Alta definição. Vai poder assistir o vôo de Maurren Maggi, entrevistas exclusivas com os campeões e tudo o que rolou durante o evento em São Paulo. Fique ligado !

 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook